Câmara dos Deputados

Comissão aprova projeto que torna flagrante a prisão por violência doméstica registrada em imagem

Pelo texto, bastará a entrega dos registros à autoridade policial para configurar o crime

Aline Gurgel recomendou a aprovação da propostaAline Gurgel recomendou a aprovação da proposta - Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 519/20, que prevê que agressores que tenham sido filmados ou fotografados ao cometer crime de violência doméstica e familiar contra a mulher possam ser presos por flagrante delito.

Apresentado pelo deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), o projeto insere a medida na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06). Pelo texto, bastará a entrega dos registros à autoridade policial para configurar o crime.

O parecer da relatora, deputada Aline Gurgel (Republicanos-AP), foi favorável à proposta. “Deve receber aplauso essa proposta de alteração da Lei Maria da Penha que passa a autorizar a prisão em flagrante do autor, gestando uma nova modalidade de flagrante impróprio”, disse.

A relatora cita decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou a prisão em flagrante decorrente de postagem de vídeo na internet.

Tramitação
A proposta será analisada em caráter conclusivo pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei
 

Veja também

Câmara aprova MP que define divulgação do resultado da Previdência
Política

Câmara aprova MP que define divulgação do resultado da Previdência

Eduardo Cunha diz que votará em Bolsonaro: 'Estou enfrentando o PT'
POLÍTICA

Eduardo Cunha diz que votará em Bolsonaro