política

Conselho abre nova investigação contra Deltan e dá prazo para Aras fornecer informações

Decisão acata pedido da OAB para que sejam investigadas também a cooperação com o FBI e a suposta interceptação de diálogos de forma ilegal

Deltan DallagnolDeltan Dallagnol - Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), que fiscaliza a atuação de procuradores no Brasil, decidiu abrir um procedimento para apurar denúncias feitas pela OAB contra procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba -entre eles, Deltan Dallagnol, que coordena os trabalhos.

O conselheiro Otavio Luiz Rodrigues Jr. deu prazo de 15 dias para que o procurador-geral da República, Augusto Aras, forneça as informações "que entender cabíveis", bem como "cópias de documentos" sobre a diligência feita pela subprocuradora Araújo em Curitiba. A visita dela causou uma rebelião entre os procuradores, que se negaram a fornecer informações sem o que eles entendem ser justificativas cabíveis.

 



A OAB pediu também investigações sobre a cooperação da força-tarefa com autoridades do FBI "sem utilização dos canais legais competentes", a suposta supressão de nomes de autoridades com prerrogativa de foro dos processos para mantê-los em Curitiba, e a suposta utilização de equipamentos estrangeiros de gravação eletrônica "de diálogos e outras comunicações pessoais".

O conselheiro abriu prazo de 15 dias para que Deltan possa se manifestar.

Veja também

Senado avalia relatoria dupla com a Câmara para ter peso na discussão de MPs de Bolsonaro
Congresso

Senado avalia relatoria dupla com a Câmara para ter peso na discussão de MPs de Bolsonaro

Partido do Aerotrem quer ser alternativa para atrair bolsonaristas desgarrados
Política

Partido do Aerotrem quer ser alternativa para atrair bolsonaristas desgarrados