Conselho de Direitos Humanos acompanhará investigações sobre morte de Marielle

Conselheiros devem se reunir com entidades da sociedade civil e familiares das vítimas, para prestar acolhimento e ouvir demandas que possam ser encaminhadas

Vereadora Marielle Franco do PSOL-RJ, assassinada com 5 tiros na cabeça na noite de quarta-feira (14)Vereadora Marielle Franco do PSOL-RJ, assassinada com 5 tiros na cabeça na noite de quarta-feira (14) - Foto: Reprodução / Facebook

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) enviou nesta sexta-feira (16) representantes ao Rio de Janeiro para acompanhar as investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Pedro Gomes. O crime ocorreu na última quarta-feira (14) e gerou uma onda de indignação e repúdio entre a população, instituições e entidades da sociedade civil.

Participam da comitiva, considerada missão emergencial, a presidente do CNDH, Fabiana Severo, o vice-presidente, Darci Frigo, e a conselheira Sandra Carvalho, representante da Justiça Global.

No período da manhã, os conselheiros devem se reunir com entidades da sociedade civil e familiares das vítimas, para prestar acolhimento e ouvir demandas que possam ser encaminhadas.

Leia também:
Eficiência de intervenção no Rio é colocada em xeque com morte de vereadora
ONU pede breve elucidação do assassinato da vereadora Marielle Franco
Marielle: afeto, luta e resistência


Durante a tarde, o grupo vai encontrar membros do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, às 13h, e da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, às 15h. Também é possível que ocorra uma reunião com representantes da Polícia Civil, o que ainda não foi confirmado.

A Delegacia de Homicídios da Capital investiga os dois assassinatos e também a tentativa de assassinato de uma assessora de Marielle, que estava no carro e sobreviveu aos disparos. O chefe da Polícia Civil, delegado Rivaldo Barbosa, considerou o crime bárbaro, gravíssimo e um atentado contra a democracia.

Veja também

Eleições 2020: candidatos agora só podem ser presos em flagrante
Política

Eleições 2020: candidatos agora só podem ser presos em flagrante

Guia eleitoral do Recife dá ressonância a farpas e propostas
Eleições 2020

Guia eleitoral do Recife dá ressonância a farpas e propostas