Corpo de Teori Zavascki é velado em Porto Alegre

O presidente Michel Temer chegou ao velório às 13h25, após ter pousado na base aérea de Canoas

Funeral do juiz da Corte Suprema, Teori Zavascki, no Tribunal Regional Federal da 4ª RegiãoFuneral do juiz da Corte Suprema, Teori Zavascki, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região - Foto: Jefferson Bernardes/AFP

O corpo do juiz Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, falecido em um acidente aéreo, era velado neste sábado em Porto Alegre na presença de parentes e amigos. O funeral, reservado na parte da manhã às pessoas mais próximas ao ministro, era realizado na sede do Tribunal Regional Federal da capital do Rio Grande do Sul, onde Zavascki trabalhou de 1989 a 2003, observou um fotógrafo da AFP.

O presidente Michel Temer chegou ao velório às 13h25, após ter pousado na base aérea de Canoas. Ele viajou acompanhado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e do ministro das Relações Exteriores, José Serra. Ainda não há confirmação se o presidente fará um pronunciamento à imprensa. O velório é aberto apenas para familiares, amigos e autoridades.

Leia mais
Velório de Teori é iniciado em Porto Alegre, no Tribunal Regional Federal
Sergio Moro diz que Teori “foi um grande herói”
Toffoli diz que morte de Teori “é uma grande perda para o Poder Judiciário”


"Vim prestar homenagem ao ministro Teori Zavascki (...) que, pela qualidade, relevância e importância pelos serviços que ele prestava, e a situação difícil desses processos, pela importância desses processos, ele foi um verdadeiro herói", declarou Moro antes de entrar no salão onde ocorria o velório.

Zavascki era responsável pelos casos de personalidades com foro privilegiado da Operação Lava Jato. Ele se encontrava, em particular, na fase de homologação das delações de 77 ex-executivos da construtora Odebrecht, envolvidos no maior escândalo de corrupção da história do Brasil, e que teve inclusive importantes ramificações internacionais.

Sua decisão sobre a chamada "delação do fim do mundo", por seu potencial para revelar os vínculos obscuros entre políticos e membros da elite empresarial, era esperada para fevereiro, mas agora o processo sofrerá, sem dúvida, algum atraso.

Muitas vozes exigem uma investigação transparente sobre as causas da queda do avião, que segundo testemunhas soltou fumaça antes de cair no mar. Cinco pessoas estavam a bordo e nenhuma sobreviveu.

Segundo a perícia, Zavascki morreu de politraumatismo provocado pela queda da aeronave. As autoridades também indicaram ter recuperado o gravador de voz do avião, um bimotor Beechcraft C90GT King Air.

Veja também

MDB será alvo de novo embate pelo comando da sigla
Edmar Lyra

MDB será alvo de novo embate pelo comando da sigla

Ala do PSB resiste à recomposição e vê Miguel Coelho como melhor adversário
Folha Política

Ala do PSB resiste à recomposição e vê Miguel Coelho como melhor adversário