São Paulo

Covas mantém sangramento no estômago e faz radioterapia, diz boletim

O comunicado diz ainda que o prefeito está recebendo todo suporte clínico necessário e que seu quadro é estável

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), está internado no hospital Sírio-Libanês, sem previsão de altaPrefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), está internado no hospital Sírio-Libanês, sem previsão de alta - Foto: Patrícia Cruz/Fotos Públicas

O prefeito Bruno Covas (PSDB) mantém um sangramento residual no estômago e iniciou radioterapia para tratar o problema, diz boletim da equipe médica divulgado na tarde desta quinta-feira (6).

Covas está internado no hospital Sírio-Libanês, sem previsão de alta. Na terça, ele foi liberado para sair da UTI e ser transferido a uma unidade semi-intensiva da unidade. Ele havia sido intubado para estancar um sangramento no estômago.

Segundo a nota, na quarta (5) ele foi submetido a um novo exame de endoscopia digestiva alta, "que evidenciou discreto sangramento residual no estômago".

O comunicado diz ainda que o prefeito está recebendo todo suporte clínico necessário e que seu quadro é estável.

Covas está em tratamento de um câncer que se originou na cárdia e depois afetou também o fígado. Ele iniciou o tratamento em 2019 e vinha evitando, desde então, afastar-se de suas funções na prefeitura, limitando suas licenças médicas. No domingo, o prefeito decidiu se licenciar por 30 dias do comando da Prefeitura de São Paulo. Neste período, o vice-prefeito, Ricardo Nunes (MDB), chefiará o Executivo.

Segundo os médicos, Covas foi intubado como estratégia para evitar que os coágulos fossem aspirados e e contaminassem a via aérea. No início da semana, médicos disseram que o procedimento para estancar o sangramento havia sido bem-sucedido.

Covas foi extubado na noite desta segunda-feira (3). Ele, então, recebeu alta para sair da UTI e passou a uma unidade semi-intensiva, onde permanece em observação.

A equipe médica definiu o sangramento do prefeito como um evento pontual, que obrigou a equipe a fazer "uma mudança de rota".

"Onde tinha a lesão tumoral, ao longo do tratamento essa lesão regrediu e fez uma úlcera e cicatriz, e foi esse ponto que sangrou", disse o médico Tulio Pfiffer, explicando o motivo do sangramento.

Segundo ele, ainda é cedo para avaliar como o episódio afeta a doença. "É muito cedo para concluir se isso tem uma relação positiva ou negativa em relação à evolução da doença", disse.

Covas comemorou a saída da UTI nas redes sociais. "Mais uma batalha vencida. Tenho fé que vou vencer cada obstáculo", escreveu, em post com foto ao lado do filho Tomás, no hospital.

Ele também agradeceu as mensagens de carinho e a Nunes. "Agradeço sinceramente por serem tão generosos comigo. Agradeço também ao Ricardo Nunes e toda nossa equipe da Prefeitura que vêm cumprindo nossa diretriz de não deixar parar nada e avançar com o trabalho e cumprir nossos compromissos com a população de São Paulo", afirmou.

Veja também

Governo defende que civis sejam julgados pela Justiça Militar em caso de ofensa às Forças Armadas
Brasil

Governo defende que civis sejam julgados pela Justiça Militar em caso de ofensa às Forças Armadas

Osmar Terra publica mensagem de pesar pelas 500 mil mortes por Covid
Coronavírus

Osmar Terra publica mensagem de pesar pelas 500 mil mortes por Covid