CPMI das Fake News é instalada e elege presidente

Segundo o senador, o colegiado terá um trabalho importante de dar resposta para a sociedade à onda de notícias falsas em redes sociais, que atingem numerosas famílias

Senador Angelo CoronelSenador Angelo Coronel - Foto: Reprodução/Site Oficial/BBC

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que vai investigar a propagação de notícias falsas – a CPMI das Fake News – foi instalada nesta quarta-feira (4) e terá como presidente o senador Angelo Coronel (PSD-BA).

Segundo o senador, o colegiado terá um trabalho importante de dar resposta para a sociedade à onda de notícias falsas em redes sociais, que atingem numerosas famílias. “Precisamos dar um basta nisso e descobrir quais são os focos dessa indústria de fake news que abala a democracia brasileira e que, muitas vezes, coloca uma pecha em alguém que não merece ser avacalhado, vamos assim dizer”, disse Angelo Coronel.

Leia também:
TSE lança programa de combate a fake news sobre Justiça Eleitoral
Judiciário e Congresso têm sido alvo de fake news, diz Toffoli


Composta por 15 senadores e 15 deputados titulares e igual número de suplentes, a comissão terá 180 dias para investigar a criação de perfis falsos para influenciar as eleições do ano passado e os ataques cibernéticos contra a democracia e o debate público. Também será alvo da mesma CPMI a prática de ciberbullying contra autoridades e cidadãos vulneráveis e o aliciamento de crianças para o cometimento de crimes de ódio e suicídio.

Veja também

Marco Aurélio envia a plenário recurso sobre depoimento de Bolsonaro
Justiça

Marco Aurélio envia a plenário recurso sobre depoimento de Bolsonaro

Em reunião do TSE, presidentes de partidos criticam cota para negros já em 2020
Eleições 2020

Em reunião do TSE, presidentes de partidos criticam cota para negros já em 2020