Cristiane pede celeridade a Cármen Lúcia para julgar posse

A ministra do STF suspendeu temporariamente a posse de Cristiane no dia 22 de janeiro e não voltou a se manifestar até o momento

Presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen LúciaPresidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Impedida de tomar posse como ministra do Trabalho por uma sucessão de decisões judiciais, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) disse nesta segunda-feira (5) que está sendo alvo de um julgamento político e pediu celeridade à presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia.

A ministra do STF suspendeu temporariamente a posse de Cristiane no dia 22 de janeiro e não voltou a se manifestar até o momento.

"Venho sofrendo uma campanha difamatória que busca impedir minha posse no Ministério do Trabalho. Peço, respeitosamente, à ministra Cármen Lúcia que julgue o mais rápido possível essa questão, baseada na existência de duas ações trabalhistas que tive no passado", disse Cristiane em nota.

Ela disse não ter mais dívidas com a Justiça do Trabalho e afirmou que está sendo julgada politicamente.

"Não devo mais nada à Justiça Trabalhista. Estou sendo julgada política e não juridicamente. Tenho a ficha limpa. Mas, infelizmente, o meu julgamento superou essa esfera. Preciso que o STF decida essa questão, para que eu possa seguir minha vida política", afirmou a deputada que disse ainda que seguirá "não poupando esforços" para provar que não cometeu "nenhuma ilicitude".

Novas denúncias

O desgaste de Cristiane Brasil aumentou no fim de semana com a divulgação de novas denúncias contra ela.

Primeiro, foi divulgado que ela é investigada por suspeita de associação ao tráfico de drogas durante a campanha eleitoral de 2010.

O inquérito foi aberto pela Polícia Civil do Rio em 2010 a partir de uma denúncia anônima, segundo a qual pessoas que trabalhavam para ela teriam pago traficantes de Cavalcanti, bairro da zona norte do Rio, para ter 'direito exclusivo' de fazer campanha na região. A informação foi publicada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e confirmada pela Folha de S.Paulo.

Depois, reportagem do "Fantástico", da TV Globo, mostrou o áudio de uma reunião comandada por Cristiane Brasil em que ela pressiona servidores da Prefeitura do Rio de Janeiro a buscar votos para sua campanha eleitoral.

Veja também

Senado aprova MP sobre acionistas de sociedades anônimas
medida provisória

Senado aprova MP sobre acionistas de sociedades anônimas

'Melhor não pagar de gostosão', diz Paulo Marinho a Flávio Bolsonaro depois de ataque
política

'Melhor não pagar de gostosão', diz Paulo Marinho a Flávio Bolsonaro depois de ataque