Crise dos combustíveis

Criticado pela alta dos combustíveis, Meirelles condena ação de empresários na greve

"É inaceitável que, além dos problemas graves e reais dos preços do petróleo e derivados, haja um componente político-ideológico e empresarial nessa aliança de entidades politicamente engajadas com empresas transportadoras", afirmou Meirelles por meio d

O ex ministro Henrique Meirelles (MDB)O ex ministro Henrique Meirelles (MDB) - Foto: Divulgação

Pré-candidato pelo MDB à Presidência da República, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles criticou a participação de empresários nos protestos realizados pelos caminhoneiros. 

"É inaceitável que, além dos problemas graves e reais dos preços do petróleo e derivados, haja um componente político-ideológico e empresarial nessa aliança de entidades politicamente engajadas com empresas transportadoras", afirmou
Meirelles por meio de nota.

A paralisação dos caminhoneiros, que protestam contra a alta do diesel, impactou a campanha do ex-ministro, que passou a ser culpado por setores da oposição como o responsável pelo aumento do preço dos combustíveis. Em resposta às críticas, ele disse em nota que se solidariza com a população pelos sofrimentos enfrentados.

Leia também:
"Não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis", diz Eunício
Temer entra com ação no STF para desbloquear rodovias do país

"Para resolver o problema definitivamente, temos que reduzir as despesas federais e abrir espaço para diminuir os impostos, inclusive dos combustíveis. Para isto, é necessário fazer a reforma da Previdência. No nível estadual, é preciso realizar uma reforma tributária visando a redução de impostos nos combustíveis", afirmou.
Meirelles disse ainda que a única saída possível para a crise é o cumprimento do acordo firmado entre o governo e associações que representam os caminhoneiros.

Veja também

Governo revoga mais 305 decretos sem eficácia legal
Sem valor

Governo revoga mais 305 decretos sem eficácia legal

Flávio Dino deixa PC do B e deve entrar no PSB, que já recebeu Freixo e pode se aproximar de Lula
Política

Flávio Dino deixa PC do B e deve entrar no PSB, que já recebeu Freixo e pode se aproximar de Lula