Daniel Coelho: “Me sinto vitorioso”

O tucano ficou em terceiro lugar na eleição para prefeito, com 18,59% dos votos

Servidores da CPRH e da Semas reivindicam questões salariaisServidores da CPRH e da Semas reivindicam questões salariais - Foto: Cortesia

Terceiro colocado na disputa pelo comando do Recife, com 18,59%, o candidato e deputado federal Daniel Coelho (PSDB) condenou, no último domingo (2), a influência que as pesquisas de intenção de voto deram no resultado final. Minutos após a apuração, que referendou o PT e PSB no segundo turno, o tucano se dirigiu ao comitê central do partido, na zona Sul do Recife.

Lá, ele avaliou que havia uma tendência de crescimento de sua candidatura. No entanto, na sua visão, na reta final, as amostragens o colocaram em queda, diferentemente do resultado das urnas, o que teminou por influenciar na votação. O seu entendimento era de que motivados pelas pesquisas, os anti-petistas rumaram para a candidatura socialista.

“Sofremos o impacto de uma manipulação pelas pesquisas divulgadas. Se o resultado que tivesse sido divulgado fosse esse, nós estaríamos no segundo turno. Tínhamos pesquisas internas que já demonstravam que nós teríamos 20% dos votos e o PT 24%.

Todas as capas de jornais dando resultado diferente. Nós tínhamos tendência de crescimento. As pesquisas apresentando no último momento como se estivéssemos caído. Evidente que não aconteceu. Então está aí o resultado. Me sinto vitorioso. Fazer uma campanha como fizemos contra a estrutura da política, contra todo poder econômico, com certeza, é uma grande vitória”, avaliou o tucano.

Coelho informou também que o PSDB, PSL e DEM irão se reunir, nesta segunda-feira (2), para tirar uma posição sobre um possível apoio no segundo turno. Nos bastidores, a grande interrogação é quanto o caminho que os votos dos tucanos e democratas poderão tomar, uma vez que os postulantes se apresentaram como ferrenhos candidatos de oposição à atual gestão e são bastante combativos ao PT no plano nacional.

No entanto, o tucano ressaltou que não é dono do voto da sua militância. “Vamos tomar a posição pelo partido, mas as pessoas que vão decidir seus votos. Vamos discutir para tomar uma decisão. Vamos tentar construir uma posição conjunta entre PSL e Democratas”, explicou.

Priscila
Estreante no pleito majoritário, a candidata Priscila Krause (DEM), que terminou a disputa com 5,43% dos votos válidos, agradeceu aos seus eleitores “todo o apoio recebido durante todo esse tempo”. A democrata, que deverá tomar uma posição sobre o segundo turno, hoje, considerou que o resultado final das urnas foi satisfatório.

Ela afirmou ainda que vai continuar colocando propostas para o município. “Honrando cada um dos votos e a confiança que foi colocada pra mim. Se essa foi uma campanha da verdade, vamos continuar com o mandato olho no olho, discutindo as questões do interesse público”, ressaltou a Democrata.

Carlos Augusto
Com 0,62% dos votos válidos, o candidato Carlos Augusto (PV) também agradeceu aos seus eleitores e comentou sobre a experiência no pleito municipal. Está foi a primeira eleição que o Verde concorreu e para ele “foi atípica”, não só pelas novas regras, mas pela “apatia” do eleitor.

“Foi uma experiência muito boa. Aprendi muito com os eleitores”, resumiu. Esta semana ele vai avaliar os próximos passos, e no momento não pensa em voltar a concorrer, mas comemorou o número de candidatos eleitos do Partido Verde. Por fim, o candidato do PSOL, Edilson Silva, que obteve 2,10% dos votos válidos, afirmou que a sua candidatura “cumpriu a função de pontuar questões importantes para a cidade”.

 

Veja também

TSE: extratos bancários de partidos serão publicados na internet
eleições

TSE: extratos bancários de partidos serão publicados na internet

Moraes é sorteado relator de inquérito que investiga acusações de Moro contra Bolsonaro
justiça

Moraes é relator de inquérito de Moro contra Bolsonaro