Pesquisa

Datafolha: 54% dizem que não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum em 2022

Índice de rejeição elevado é um dos desafios para o atual presidente

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Evaristo Sá/AFP

Para se reeleger no ano que vem, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também terá de enfrentar um alto índice de rejeição, que ultrapassa metade do eleitorado e poderá ser um complicador, especialmente em um segundo turno. Dentre os entrevistados pelo Datafolha, 54% dizem que jamais votariam nele.

A rejeição do ex-presidente Lula é a segunda maior, com 36%, seguida pelas de João Doria (30%), Luciano Huck (29%), Sergio Moro (26%) e Ciro Gomes (24%).

O levantamento foi realizado com 2.071 pessoas, de forma presencial, em 146 municípios, nos dias 11 e 12 de maio. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Pouco mais de dois meses após ter seus direitos políticos restabelecidos, Lula lidera a corrida para a Presidência com margem confortável no primeiro turno e venceria Bolsonaro na segunda etapa, revela pesquisa Datafolha. O petista alcança 41% das intenções de voto no primeiro turno, contra 23% de Bolsonaro.

Em um segundo pelotão, embolados, aparecem o ex-ministro da Justiça Sergio Moro (sem partido), com 7%, o ex-ministro da Integração Ciro Gomes (PDT), com 6%, o apresentador Luciano Huck (sem partido), com 4%, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que obtém 3%, e, empatados com 2%, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e o empresário João Amoêdo (Novo).

Somados, os adversários de Lula chegam a 47%, apenas seis pontos percentuais a mais do que o petista. Outros 9% disseram que pretendem votar em branco, nulo, ou em nenhum candidato, e 4% se disseram indecisos.

Em um eventual segundo turno contra Bolsonaro, Lula levaria ampla vantagem, com uma margem de 55% a 32%. Ele receberia a maioria dos votos dados a Doria, Ciro e Huck, enquanto o presidente herdaria a maior fatia dos que optam por Moro, seu ex-ministro da Justiça e atual desafeto. O petista também venceria na segunda etapa contra Moro (53% a 33%) e Doria (57% a 21%).

Já Bolsonaro empataria tecnicamente com Doria, marcando 39%, contra 40% para o tucano. E perderia para Ciro, obtendo 36%, contra 48% para o pedetista.

Essa é a primeira pesquisa de intenção de voto do Datafolha feita desde que o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, anulou as condenações judiciais de Lula, com a justificativa de que a Justiça Federal em Curitiba não era o foro competente para as ações.

Veja também

Bolsonaristas reclamam de perda de seguidores no Twitter, que diz verificar contas suspeitas
Internet

Bolsonaristas reclamam de perda de seguidores no Twitter, que diz verificar contas suspeitas

Joice Hasselmann afirma que PSL se vendeu a Bolsonaro e entra com ação no TSE para deixar o partido
Política

Joice Hasselmann afirma que PSL se vendeu a Bolsonaro e entra com ação no TSE para deixar o partido