Eleição presidencial

Datafolha: Lula venceria segundo turno contra Bolsonaro, que reduz desvantagem

Pré-candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) lidera a corrida ao Palácio do Planalto com 43% de intenções de voto, seguido por Bolsonaro (Partido Liberal, PL) com 26%

Pesquisa aponta Lula e Bolsonaro no segundo turnoPesquisa aponta Lula e Bolsonaro no segundo turno - Foto: Ricardo Stuckert/divulgação | Isac Nóbrega/PR

Lula venceria com folga o segundo turno da eleição presidencial de outubro contra o atual presidente, Jair Bolsonaro, que reduziu sua distância, de acordo com a pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira (24).

O pré-candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) lidera a corrida ao Palácio do Planalto com 43% de intenções de voto, seguido por Bolsonaro (Partido Liberal, PL) com 26%, segundo o instituto de pesquisas do Grupo Folha.

Em um possível segundo turno, em 30 de outubro, o ex-presidente ficaria 21 pontos à frente de Bolsonaro (55% a 34%), oito a menos do que a vantagem que tinha em dezembro.

Embora a pesquisa não seja comparável à de dezembro da Datafolha devido à mudança de metodologia, no fim do ano passado Lula aparecia com 48% dos votos e Bolsonaro com 22%, levantando a possibilidade de uma vitória no primeiro turno, em 2 de outubro.

A nova pesquisa mostrou uma consolidação da polarização entre Lula e Bolsonaro, enquanto os candidatos da chamada “terceira via” seguem sem decolar.

Empatados dentro da margem de erro, ficaram longe, em terceiro lugar, Sérgio Moro (8%) e Ciro Gomes (6%). Foram entrevistados 2.556 eleitores em 181 cidades brasileiras, em 22 e 23 de março.

Creomar de Souza, analista da consultora Dharma, explicou à AFP que a recuperação de Bolsonaro está relacionada ao fracasso da terceira via

"Com o fracasso da candidatura do Moro, muitos eleitores de direita percebem que a unica alternativa para evitar o retorno do PT ao poder é votar em Bolsonaro”, disse.

Já Adriano Laureno, analista de Política e Economia da consultora Prospectiva, apontou que a melhora da situação sanitária da pandemia fortaleceu Bolsonaro nas pesquisas.

"Bolsonaro segue sendo um candidato altamente competitivo, isso demonstra a força da máquina do setor público no Brasil. Ele tem usado a máquina de um modo bastante explícito para tentar se reeleger", afirmou.

"Tudo isso tem impacto fiscal no médio e longo prazo, mas no curto prazo traz benefícios eleitorais."

Veja também

Ministro da Justiça diz que não conversou com Bolsonaro sobre investigação da PF em viagem aos EUA
Política

Ministro da Justiça diz que não conversou com Bolsonaro sobre investigação da PF em viagem aos EUA

Com ou sem Bolsonaro, Arthur Lira se articula para novo mandato em 2023
Política

Com ou sem Bolsonaro, Arthur Lira se articula para novo mandato em 2023