Confusão

Declarações machistas atribuídas a Arthur do Val levam a rompimento de Moro e processo no Podemos

Ex-ministro cobrou posição do partido e disse que não dividirá palanque com quem tem 'esse tipo de opinião e comportamento'

O deputado estadual Arthur do Val (Patriota)O deputado estadual Arthur do Val (Patriota) - Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Um áudio de conteúdo machista atribuído ao deputado estadual Arthur do Val (Podemos), conhecido como Mamãe Falei, pré-candidato ao governo de São Paulo, gerou críticas e abriu uma crise política que envolveu até o ex-ministro Sergio Moro, pré-candidato do Podemos à Presidência da República.

Em áudio enviado a integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL), Arthur afirmou que mulheres refugiadas são "fáceis porque são pobres”. O parlamentar viajou à Ucrânia para, segundo ele, ajudar na resistência contra a invasão russa.  Ele ainda não se posicionou sobre o ocorrido porque, segundo o MBL estaria viajando de volta para o Brasil na noite desta sexta-feira (4).

Em nota, Moro disse que jamais dividirá seu palanque com pessoas que têm esse tipo de opinião e comportamento. O ex-juiz ainda cobrou uma manifestação breve do partido diante da gravidade que a situação exige.

"Lamento profundamente e repudio veementemente as graves declarações do deputado Arthur do Val divulgadas pela imprensa. O tratamento dispensado às mulheres ucranianas refugiadas e às policiais do país é inaceitável em qualquer contexto. As declarações são incompatíveis com qualquer homem público", afirmou Moro. "Tenho uma vida pautada pela correção e pelo respeito a todos - tanto no campo público quanto na vida privada. Portanto, jamais comungarei com visões preconceituosas, que podem inclusive ser configuradas como crime."

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Folha de Pernambuco (@folhape)

Nos bastidores, integrantes da campanha já defendem a abertura de um processo na Comissão de Ética do partido, o que pode resultar na expulsão de Arthur.
 

"Vou te dizer: elas são fáceis porque são pobres. E aqui, cara, minha carta do Instagram cheio de inscritos funciona demais, funciona demais. Não peguei ninguém, mas eu colei em duas minas, e é inacreditável a facilidade. Essas minas em São Paulo, você dá bom dia e elas iam cuspir na sua cara", afirmou o deputado em áudios obtidos pelo GLOBO e revelados pelo colunista Lauro Jardim.

"Quatro dessas eram minas que você, nem sei o que dizer, se ela cagar você limpa a bunda delas com a língua. Assim que essa guerra acabar vou voltar para cá".

O deputado, que havia acabado de cruzar a fronteira da Ucrânia com a Eslováquia, disse ainda que a fila das refugiadas só tinha "deusa" e que a fila da melhor balada do Brasil não chega aos pés da fila de refugiadas.

Há três semanas, Moro também precisou se posicionar a respeito de uma declaração do deputado federal Kim Kataguiri (Podemos) sobre a Alemanha ter errado ao criminalizar partido nazista.

Ao contrário do caso de Kim, em que Moro justificou se tratar de um "erro brutal", a fala de Mamãe Falei é considerada indefensável pelo ex-juiz. Segundo auxiliares, o pré-candidato à Presidência considerou a declaração "absurda" e "temerária", sem possibilidade de justificativas.

Veja também

Lava jato, propina e ação de ex-partido: veja como Dino votou na 1ª semana como ministro do STF
SUPREMO

Lava jato, propina e ação de ex-partido: veja como Dino votou na 1ª semana como ministro do STF

Eduardo Leite, governador do RS, se aventura como cantor durante encontro do Cosud; veja vídeo
SUL

Eduardo Leite, governador do RS, se aventura como cantor durante encontro do Cosud; veja vídeo