Decreto de cortes da Alepe ainda não avançou

Teresa Leitão diz que minuta está sendo discutida

Plenário da AlepePlenário da Alepe - Foto: ALEPE

Desde o último dia 20 de março, uma queda no repasse do duodécimo, percentual que o Executivo repassa ao Legislativo, já havia sido anotada na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Como a coluna registrara, o valor esperado, no mês passado, era de R$ 45.699 milhões e o que chegou, à Casa de Joaquim Nabuco, foi um montante de R$ 41.528 milhões.

Para o próximo dia 20, há nova queda no radar. Não à toa, desde o último dia primeiro de abril, havia um decreto pronto na Casa de Joaquim Nabuco, prestes a ser publicado no Diário Oficial e ele tratava de cortes na estrurura da Casa e em verba indenizatória. Vários cenários de cortes, que iam de 20% a 40%, foram estudados. E o documento, assinado pelo presidente Eriberto Medeiros, determinava suspensão de projetos de reajuste de vencimentos e subsídios; de pagamento de diárias e passagens aéreas; de contratação de estagiários e terceirizados e previsa ainda que contratos deveriam ser repactuados com redução mínima de 20%.

De lá para cá, o texto não avançou. Mas há previsão de que seja analisado em reunião na próxima semana. "A minuta está sendo discutida na Mesa e, na próxima semana, haverá reunião", pontua, à coluna, a deputada estadual Teresa Leitão, 3ª secretária da Mesa. Segundo ela, a reunião se daria na última quarta-feira, mas acabou não ocorrendo devido ao encontro dos deputados estaduais, via videoconferência, com o governador Paulo Câmara. Teresa acrescenta: "Independente da minuta, muitas medidas estão sendo tomadas. A redução dos dias de trabalho, de quem está fazendo trabalho presencial, isso reduz água, luz, telefone, combustível, redução de diárias e custos".

 

"Projetos santos"
Antes de iniciar a sessão da Câmara, ontem, Rodrigo Maia avisou que "na quinta-feira santa" ia colocar para votar dois "projetos santos". Um deles era o de autoria do deputado André Ferreira, que vincula automaticamente os inscritos no Cadastro Único à Tarifa Social da conta de energia. Até então, ainda que as famílias tivessem direito, elas precisariam solicitar às concessionárias.
Cobaia > Para apresentar o projeto, André se baseou nos números de Jaboatão, onde só 30% de quem tinha direito havia requerido o benefício da Tarifa Social. Em Jaboatão, o prefeito Anderson Ferreira entrou em contato com a Celpe para sugerir que ela incluísse as pessoas, independente de solicitação.
bolso > Para convencer Rodrigo Maia a pautar o projeto, André argumentou que a Câmara estava votando matérias que envolviam dinheiro e que essa era apenas uma questão de desburocratizar e que, mesmo assim, ia chegar no bolso dos brasileiro.
Alcance > No País, há 13,5 milhões de famílias inscritas no Cadastro Único. Desse total, grifa André Ferreira, só 9 milhões desfrutam do acesso à tarifa social. Levando em conta três pessoas por família, o projeto pode beneficiar até 15 milhões de brasileiros.
Fermento > Com o ingresso do deputado estadual Alberto Feitosa no PSC, a bancada da legenda chega a seis parlamentares na Alepe. Eram cinco: Manoel Ferreira, Guilheme Uchoa Junior, Wanderson Florêncio, Antonio Fernando e Clarissa Tércio.
Tratativas > Feitosa deixou o Solidariedade, mirando a corrida majoritária. Indagado sobre o tema, André Ferreira pondera que ninguém ingressa num partido para ser candidato automaticamente. Diz que a hipótese ser tratada mais para frente. 

Veja também

Após show, Rebeca Andrade comemora 'decisões inteligentes' na ginástica
Jogos Olímpicos

Após show, Rebeca Andrade comemora 'decisões inteligentes' na ginástica

Campanhas de Lula e Ciro querem mais economia e menos pautas identitárias
Política

Campanhas de Lula e Ciro querem mais economia e menos pautas identitárias