Decreto de intervenção federal chega à Câmara e deve votado na segunda à noite

Para ser válido, decreto precisa da autorização da maioria simples dos parlamentares presentes nos dois plenários

Temer assina decreto de intervenção federal no Estado do RioTemer assina decreto de intervenção federal no Estado do Rio - Foto: Beto Barata / PR

O decreto de intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro já foi enviado da Casa Civil à Câmara dos Deputados. A mensagem presidencial sobre o decreto foi protocolada na 1ª Secretaria da Casa pouco antes das 16h. Segundo a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara, a pauta que seria apreciada pelo plenário na próxima semana “está em processo de reelaboração”, em virtude da intervenção.

A nova agenda prevê a apreciação do decreto às 19h da próxima segunda-feira (19) e nos outros dias da semana a votação de medidas provisórias e acordos internacionais.

O decreto também deve ser analisado no Senado Federal. Para ser válido, ele precisa da autorização da maioria simples dos parlamentares presentes nos dois plenários. De acordo com a Constituição Federal, o decreto de intervenção deve ser analisado pelo Congresso Nacional depois de 24 horas de sua publicação. A Constituição determina ainda que, na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio, não poderá haver apreciação de emendas constitucionais.

Leia também:
Tire suas dúvidas sobre a intervenção na segurança pública no Rio de Janeiro
Temer vai neste sábado ao Rio de Janeiro para tratar da intervenção federal
Ministros afirmam que intervenção federal não representa perigo à democracia


PEC da Previdência
Mais cedo, Maia afirmou que intervenção inviabiliza a votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata da reforma da Previdência na próxima semana. No entanto, o presidente Temer afirmou que vai cessar a intervenção para votar a reforma da Previdência quando houver a avaliação da Câmara e Senado de que há condição para aprovar o texto. A discussão da PEC que altera as regras de acesso à aposentadoria estava prevista para ter início na próxima terça-feira (20). Às vésperas do cronograma, a base governista ainda não conseguiu reunir o mínimo de 308 votos necessários para aprovar a reforma.

Veja também

Bolsonaro visita Sertão de Pernambuco para inaugurar obra hídrica
Blog da Folha

Bolsonaro visita Sertão de Pernambuco para inaugurar obra hídrica

Alcolumbre ganha apoio até de líder do PT para se reeleger chefe do Senado
Política

Alcolumbre ganha apoio de líder do PT para se reeleger no Senado