Defesa de Battisti pede ao STF que suspenda prisão dele e impeça extradição

Ao determinar a prisão do italiano, Fux abriu caminho para a extradição dele pelo atual presidente da República, Michel Temer, ou pelo próximo, Jair Bolsonaro

Cesare Battisti é apontado como terrorista pelas autoridades italianasCesare Battisti é apontado como terrorista pelas autoridades italianas - Foto: Miguel Schincariol/AFP

A defesa de Cesare Battisti entrou com recurso no STF (Supremo Tribunal Federal) nesta sexta-feira (14) pedindo a suspensão da decisão desta quinta (13) do ministro Luiz Fux que determinou a prisão preventiva do italiano para fins de extradição. No pedido, os advogados Igor Tamasauskas e Otávio Mazieiro requerem ainda que o recurso da defesa "seja imediatamente submetido ao colegiado para julgamento ainda em 2018". A corte entrará em recesso na semana que vem.

Leia também
Decisão sobre Battisti foi técnica, diz ministro Fux
Battisti foi condenado por quatro assassinatos na Itália; Veja a cronologia
Battisti está em local incerto e não sabido, diz Polícia Federal


Ao determinar a prisão do italiano, Fux abriu caminho para a extradição dele pelo atual presidente da República, Michel Temer (MDB), ou pelo próximo, Jair Bolsonaro (PSL). A Polícia Federal considera o italiano foragido. Agentes fazem buscas nesta sexta para tentar encontrar o estrangeiro, que mora em Cananeia (SP), mas não está em casa. Ele também não indicou que irá se apresentar. Seus advogados dizem que não conseguiram contato com o cliente desde a divulgação da decisão.

No pedido ao Supremo, os advogados reivindicam que a corte impeça a extradição, ao pedir que se aguarde o julgamento do mérito do caso antes de qualquer ato que possa significar a entrega do condenado ao país europeu. No pedido, os argumentos são os de que é impossível rever o ato do ex-presidente Lula (PT), que em 2010 decidiu pela permanência de Battisti no Brasil. Na época, o STF havia decidido pela extradição, mas o então presidente, valendo-se do direito de dar a palavra final, resolveu deixá-lo no país.

A defesa diz ainda que o italiano tem um filho brasileiro que depende dele economicamente (o menino tem hoje cinco anos). Justifica ainda que falta um fato novo que sirva de motivo para um novo pedido de extradição ou uma ordem de prisão. A Itália pede a extradição de Battisti porque ele foi condenado em seu país pelo assassinato de quatro pessoas. O Supremo Tribunal Federal deliberou, ao discutir o caso, que os crimes que levaram à condenação do italiano não foram crimes políticos.

Veja também

'Nós fizemos a nossa parte', diz Bolsonaro em meio à crise de falta de oxigênio em Manaus
Coronavírus

'Nós fizemos a nossa parte', diz Bolsonaro em meio à crise de falta de oxigênio em Manaus

Presidente do Senado articula ajuda para fornecimento de oxigênio em hospitais de Manaus
Coronavírus

Presidente do Senado articula ajuda para fornecimento de oxigênio em hospitais de Manaus