Defesa de Lula busca concessão de prisão domiciliar no STF

O pedido de liberdade do ex-presidente será julgado na próxima terça-feira (26) pela Segunda Turma da Corte. Se a condenação for suspensa, como pedem inicialmente os advogados de defesa, o ex-presidente poderá deixar a prisão imediatamente e também se can

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante ato na Avenida Paulista contra o impeachment e a favor da democracia O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante ato na Avenida Paulista contra o impeachment e a favor da democracia  - Foto: Juca Varella/Agência Brasil

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou nesta quinta-feira (21) no Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de suspensão da condenação e de expedição do mandato de soltura. Em um resumo do caso entregue a ministros da Corte no início da noite, os advogados pedem que o ex-presidente possa cumprir prisão domiciliar ou outras medidas cautelares caso o tribunal entenda que a liminar de liberdade não pode ser aceita.

Leia também
Lula elogia 'reação do STF' após absolvição de Gleisi
Pedido de liberdade de Lula será julgado no dia 26 pelo STF
Com Lula preso, cabe a mim não deixar o país descambar ao retrocesso, diz Ciro


O pedido de liberdade do ex-presidente será julgado na próxima terça-feira (26) pela Segunda Turma da Corte. Se a condenação for suspensa, como pedem inicialmente os advogados de defesa, o ex-presidente poderá deixar a prisão imediatamente e também se candidatar às eleições.

Na primeira petição enviada ao Supremo, a defesa do ex-presidente alegou que há urgência na suspensão da condenação, porque Lula é pré-candidato à Presidência e tem seus direitos políticos cerceados diante da execução da condenação, que não é definitiva.

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 7 de abril, por determinação do juiz Sérgio Moro, que ordenou a execução provisória da pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex em Guarujá (SP). A prisão foi executada com base na decisão do STF que autorizou prisões após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça.

Veja também

Bolsonaro usa caso de serial Killer para dizer que 'arma é vida' e volta a criticar máscaras
Live presidencial

Bolsonaro usa caso de serial Killer para dizer que 'arma é vida' e volta a criticar máscaras

Autoridades pernambucanas são homenageadas na celebração dos 130 anos do Ministério Público Estadual
Pernambuco

MPPE comemora 130 anos e presta homenagens