Odebrecht

Delator da Odebrecht diz que Aécio Neves fraudou licitação

Em nota, Aécio Neves repudiou o teor do relato de Benedicto Júnior e defendeu o fim do sigilo sobre as delações

de favorecer  empreiteiras nas obras da Cidade?Administrativade favorecer empreiteiras nas obras da Cidade?Administrativa - Foto: Pedro França/Agência Senado

 

Ex-­presidente da Odebre­cht Infraestrutura, Benedicto Júnior afirmou, em sua delação premiada à La­va Jato, que se reuniu com o atual senador Aécio Ne­ves (PSDB­ MG) para tratar de um esquema de fraude em licitação na obra da Cidade Administrativa para favorecer grandes empreiteiras. A reunião, segundo o delator, ocorreu quando o tucano governava Minas Gerais.
Segundo a Folha de S. Paulo apurou, Benedicto Júnior, conhecido como BJ, disse aos procuradores que, após o acerto, Aécio orientou as construtoras a procurarem Oswaldo Borges, Oswaldinho, como é conhecido. Com ele, foi definido o percentual de propina que seria repassado pelas empresas no esquema. Ainda de acordo com o delator, esses valores ficaram entre 2,5% e 3% sobre ototal dos contratos.

Repúdio
Em nota, Aécio Neves repudiou o teor do relato de Benedicto Júnior e defendeu o fim do sigilo sobre as delações "para que todo conteúdo seja de conhecimento público".
Oswaldinho é um colaborador das campanhas do hoje senador mineiro. De acordo com informações obtidas pela reportagem, o ex­ecutivo da Odebrecht afirmou que o próprio Aécio decidiu quais empresas participariam da licitação para a obra.
Projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer (1907­2012), a Cidade Administrativa, sede do governo mineiro, custou R$ 2,1 bilhões em valores da época. Foi inaugurada em 2010, último ano de Aécio como governador, sendo a obra mais cara do tucano no governo de Minas.

 

Veja também

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma de fogo no aeroporto
Política

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda
Mundo

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda