Política

Deltan fala em 'reais chances' de prescrição no caso Lula e retrocessos no combate à corrupção

Dallagnol também disse que é preciso "abrir os olhos" para retrocessos que estão acontecendo no combate à corrupção no Brasil

Deltan DallagnolDeltan Dallagnol - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Pelo Twitter, o procurador Deltan Dallagnol, que esteve à frente da força-tarefa da Lava Jato até setembro passado, afirmou que os processos envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva correm "reais chances" de prescrição após a decisão do ministro Edson Fachin de anular as condenações e encaminhar as ações para a Justiça Federal de Brasília.

O procurador ponderou que os tribunais, incluindo o STF, já haviam decidido várias vezes sobre a competência do juízo de Curitiba. Ele afirmou que o sistema de justiça "rediscute e redecide" casos dezenas de vezes, o que "favorece a anulação dos processos criminais".

"Tribunais têm papel essencial em nossa democracia e devem ser respeitados, mas sistema de justiça precisa de aperfeiçoamentos", defendeu na publicação.
 


Dallagnol também disse que é preciso "abrir os olhos" para retrocessos que estão acontecendo no combate à corrupção no Brasil, citando como exemplo a possibilidade de prisão a partir de condenação em segunda instância.

"Precisamos discutir essas amplas mudanças em curso (e aqui não falo mais do caso concreto) para decidir se queremos ser o país da impunidade e da corrupção, que corre o risco de retroceder vinte anos no combate a esse mal, ou um país democrático em que impere a lei", escreveu.

Veja também

Bolsonaro usa helicóptero fora da agenda e, sem máscara, provoca aglomeração em cidade goiana
Presidente

Bolsonaro usa helicóptero fora da agenda e, sem máscara, provoca aglomeração em Goiás

Contra Lula, Bolsonaro busca eleitor conservador e retórica anticorrupção
BRASIL

Contra Lula, Bolsonaro busca eleitor conservador e retórica anticorrupção