Denúncia de Janot contra Guedes é contestada

A denúncia feita pelo Ministério Público Federal acusa também o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Procurador-geral da República, Rodrigo JanotProcurador-geral da República, Rodrigo Janot - Foto: Wilson Dias/ABr

 

Na mesma noite em que o Supremo Tribunal Federal (STF) escolheu o ministro Edson Fachin como novo relator da Lava Jato, na última quinta-feira, a defesa do ex-presidente da Copergás, Aldo Guedes, entrou com uma questão de ordem, na Corte, para contestar a denúncia do procurador-geral de Justiça, Rodrigo Janot, que resultou na inclusão do nome de Guedes entre os investigados no Inquérito 4005.

A ação criminal investiga o pagamento de propina para a campanha do ex-governador Eduardo Campos. Além de Guedes, a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) acusa o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
A defesa questiona que a denúncia não inclui outros colaboradores citados nas operações. A decisão é classificada como injustificada. Os advogados argumentam que o MPF "denunciou quem achou conveniente, com base exclusivamente em sua discricionariedade". É questionada, ainda, a ausência de executivos da construtora Camargo Corrêa. Caso o ministro Fachin acate os questionamentos do ex-presidente da Copergás, a notificação de Guedes poderá ser anulada.

 

Veja também

Bolsonaro concede medalha Oswaldo Cruz a Michelle Bolsonaro
Primeira-dama

Bolsonaro concede medalha Oswaldo Cruz a Michelle Bolsonaro

Lira defende fundão e diz que, sem verba pública, campanhas podem ser bancadas por milícia e tráfico
Fundão eleitoral

Lira defende fundão e diz que, sem verba pública, campanhas podem ser bancadas por milícia e tráfico