Depositando o ônus sobre os "marajás"

Presidente do Conselho Nacional de procuradores gerais, Sandro José Neis, já emitiu mensagem à categoria com alerta

Presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia já criou uma comissão especial para debater o fim dos supersalários no serviço público. O colegiado deve proferir parecer sobre o Projeto de Lei 6726 do Senado, que regulamenta o limite remuneratório. Na esteira do debate para limitar os salários acima do teto, o ministro Gilmar Mendes já propôs uma rediscussão da autonomia financeira dada aos poderes pela Constituinte de 1988. Diz que a intenção, na época da criação da regra, "não era fazer contracheques gordos", mas que a prerrogativa acabou virando "baguncismo". No pacote anunciado pelo governo, na última terça-feira, está prevista a instituição de teto salarial no serviço público, cujo limite será os R$ 33,4 mil pagos a ministros do Supremo Tribunal Federal.

 A economia estimada só com os servidores da União é de R$ 725 milhões por ano. No esforço para reforçar os cofres, o pacote do governo traz, em paralelo, o aumento da contribuição previdenciária dos servidores públicos, de 11% para 14% - relativo ao salário dos que ganham acima de R$ 5,3 mil. Detalhe: a lei federal 9717 diz que estados e municípios têm que cobrar, no mínimo, a alíquota instiuída para os servidores federais. Como em Pernambuco, atualmente, já se cobra 13,5%, caso o pacote do ministro Henrique Meirelles seja aprovado, os servidores estaduais e municipais, que já contribuiam, há algum tempo, perto desse valor, terão que arcar com os 14%. Pode gerar reação.

Colado em Lula

O líder da Oposição no Senado, Humberto Costa, vai acompanhar boa parte da agenda de Lula pelo Nordeste. O ex-presidente vai percorrer em um ônibus os Estados da região para reforçar o legado do PT. Hoje, o senador participa do start em Salvador e deve acompanhar as agendas na Paraíba e no Ceará, além de Pernambuco.

Dose dupla > Ainda que João Dória não confirme que concorrerá ao Planalto, tucanos, nas coxias, admitem que ele está rodando o País com esse intuito. E há quem comemore, lembrando que o PSDB já larga com duas opções, considerando nome de Geraldo Alckmin.

Cobiçado 1 > No PSB, o número 4040, que foi de Miguel Arraes e herdado por João Fernando Coutinho, está na mira de graduados socialistas. Há quem defenda que ele deve ser usado por João Campos na corrida pela Câmara Federal.

Cobiçado 2 >
Se não houve proposta explícita, deu-se insinuação no bastidor de que o João Fernando poderia mudar seus planos. Leia-se: concorrer à Assembleia Legislativa, o que fecharia a equação. Em último caso, só a saída dele da sigla resolveria. Resta um climão nas coxias.

Sobrando > Em ofício enviado, ontem, ao prefeito Professor Lupércio, a deputada estadual Teresa Leitão informa que emenda de sua autoria, de 2015, destinada a Olinda, no valor de R$ 100 mil foi paga, mas não foi executada pela gestão Renildo Calheiros. A petista alerta para o risco de a verba retornar aos cofres do governo.

Rédea curta >
O ministro da Integração, Hélder Barbalho, assegurou ao senador Armando Monteiro que, só após a Compesa prestar contas da primeira parcela, irá autorizar mais R$ 772 mil para a implantação do sistema de abastecimento de Santa Cruz da Baixa Verde. O prefeito Tássio Bezerra participou da audiência e relatou o alto índice de disenteria.

Veja também

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara
STF

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação
Pandemia

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação