Brasil

Deputados do PSB pedem expulsão de vereador de SP por fala racista

Camilo Cristófaro disse em sessão na Câmara que "não lavaram a calçada, isso é coisa de preto"; parlamentares apontam que, além de criminosa, conduta afronta estatuto da sigla

Camilo Cristófaro (PSB-SP)Camilo Cristófaro (PSB-SP) - Foto: Reprodução / Vídeo / Instagram

Deputados federais do PSB ingressaram nesta terça-feira (3) com uma representação na Comissão de Ética do partido na qual pedem a expulsão do vereador paulistano Camilo Cristófaro (PSB-SP), que proferiu uma fala racista durante sessão da Câmara Municipal de São Paulo nessa terça-feira (3).

Líder da bancada do partido na Casa, Cristófaro não percebeu o microfone ligado e disse: "Eles arrumaram e não lavaram a calçada. É coisa de preto, né?". Na sequência, o presidente da sessão, Adilson Amadeu (União Brasil), pediu para que o áudio do vereador fosse desligado.

Na representação, os parlamentares do PSB afirmam que, além de criminosa, a conduta de Cristófaro afronta o programa da legenda, seu estatuto e o código de ética da sigla. O documento é assinado pelos deputados federais Marcelo Freixo (RJ), Danilo Cabral (PE) e Milton Coelho (PE). A informação foi dada primeiro pela Folha de S. Paulo e confirmada pelo Globo.

"Trata-se de comportamento incompatível com o decoro e a ética partidária exigida como conduta para qualquer militante, e, sobretudo, àqueles que ocupam funções públicas representando a legenda", escreveram os parlamentares.

Os deputados solicitaram que sejam tomadas as providências cabíveis para apurar o caso. Internamente, o Conselho de Ética da sigla abre uma investigação para definir se pune ou não o filiado. A expulsão, defendida pelos deputados, é a sanção máxima.

Veja também

Bolsonaro volta a estimular armamento da população: 'comprem suas armas'
Presidente da república

Bolsonaro volta a estimular armamento da população: 'comprem suas armas'

Maioria do STF aprova projeto reajuste de 18% em salários de juízes e servidores, com teto de R$ 46
BRASIL

Maioria do STF aprova reajuste para juízes e servidores, com teto de R$ 46,3 mil