Desembargador Fraveto reitera decisão de liberdade a Lula

Em novo despacho, Favreto ressalta que o Alvará de Soltura não requer maiores dificuldades e deve ser efetivado por qualquer agente federal que estiver na atividade plantonista

O PT não pode mais veicular a propaganda eleitoral transmitida em rádio, em que Lula aparece como candidato                                  O PT não pode mais veicular a propaganda eleitoral transmitida em rádio, em que Lula aparece como candidato  - Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O desembargador Rogério Fraveto, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, reiterou a decisão de mandar soltar imediatamente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A liberdade de Lula foi questionada pelo juiz federal Sérgio Moro, ao alegar que desembargador não tem poderes para autorizar a libertação.

“Reitero a ordem exarada e determino o imediato cumprimento da decisão, nos termos da mesma e competente Alvará de Soltura expedido, ambos de posse e conhecimento da autoridade policial, desde o início da manhã do presente dia”, afirma. Mais cedo, o desembargador já havia decidido soltar o ex-presidente.

Em novo despacho, Favreto ressalta que o Alvará de Soltura não requer maiores dificuldades e deve ser efetivado por qualquer agente federal que estiver na atividade plantonista, “não havendo necessidade da presença de delegado”.

Leia também:
Desembargador manda soltar Lula da prisão ainda neste domingo
Moro se nega a cumprir decisão que manda soltar Lula, alegando que o desembargador é 'incompetente'
Ministro Carlos Marun diz que, mesmo solto, Lula não pode ser candidato a presidente
Guilherme Boulos chama de 'chicana' atitude de Sérgio Moro de não cumprir alvará de soltura de Lula


Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, desde o dia 7 de abril, por determinação do juiz Sérgio Moro, que determinou a execução provisória da pena de 12 anos de prisão na ação penal do triplex do Guarujá (SP), após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça.

Veja também

Com a chegada da vacina, missão dos prefeitos é tranquilizar população
Carlos Britto

Com a chegada da vacina, missão dos prefeitos é tranquilizar população

João Doria segue eleitoralmente distante de Bolsonaro
Edmar Lyra

João Doria segue eleitoralmente distante de Bolsonaro