PF

Diretor-geral da PF decide trocar chefe no Amazonas que pediu investigação contra Salles

Alexandre Saraiva criticou o ministro afirmando que na Polícia Federal não ia passar boiada

Decisão do diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, foi tomada na tarde desta quartaDecisão do diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, foi tomada na tarde desta quarta - Foto: Divulgação/Alesp

O diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, decidiu trocar o chefe do órgão no Amazonas, Alexandre Saraiva.
Saraiva está em atrito com o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) por causa da maior apreensão de madeira do Brasil, como mostrou a Folha de S.Paulo.

O delegado criticou Salles, dizendo ser a primeira vez que viu um titular da pasta se posicionar contra uma ação que mira preservar a floresta amazônica.

"Na Polícia Federal não vai passar boiada", disse Saraiva à Folha, usando termo utilizado por Salles em reunião ministerial do ano passado.

O ministro apontou falhas na investigação.

Segundo informações internas da PF, a decisão foi tomada na tarde desta quarta-feira (14), antes do documento enviado ao STF que pede apuração da conduta do integrante do governo.

Saraiva sugere na peça haver indícios de dois crimes: advocacia administrativa e tentativa de obstrução de investigação de organização criminosa.

Maiurino escolheu o delegado Leandro Almada para substituí-lo. O policial foi o número 2 da gestão de Saraiva e comandou o grupo de investigações ambientais na superintendência.

Como mostrou o Painel, o novo diretor-geral está fazendo diversas mudanças no órgão. Em São Paulo, ele tirou o chefe que não tinha nem um mês no cargo e fugiu do padrão ao escolher o substituto.

Veja também

Alinhado ao Planalto e longe do Supremo, Aras trabalha por recondução na PGR
Política

Alinhado ao Planalto e longe do Supremo, Aras trabalha por recondução na PGR

Senador chama empresário Carlos Wizard para falar na CPI da Covid
CPI da Covid

Senador chama empresário Carlos Wizard para falar na CPI da Covid