Mesa Diretora

Disputa na Alepe fica para dezembro

Quando questionado sobre a possibilidade de se candidatar ao sexto biênio consecutivo para a Presidência da Casa, Uchoa não respondeu diretamente, mas não negou a possibilidade.

Governador esteve no Sertão do Araripe com correligionários e aliados onde apresentou açõesGovernador esteve no Sertão do Araripe com correligionários e aliados onde apresentou ações - Foto: Aluisio Moreira/SEI

 

O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa (PDT), em reunião com a Mesa Diretora na manhã de quarta-feira (16), definiu a data de 12 de dezembro para a realização da eleição da nova composição do comando da Casa.

Quando questionado sobre a possibilidade de se candidatar ao sexto biênio consecutivo para a Presidência da Casa, Uchoa não respondeu diretamente, mas não negou a possibilidade.
“Se você quiser eu faço esse sacrifício”, ironizou, ao ser questionado pela reportagem sobre a possibilidade de se candidatar ao cargo. Por sua vez, em entrevista à Radio Folha 96,7 FM, o terceiro secretário da Assembleia, Romário Dias (PSD), reafirmou sua pretensão em disputar a presidência. O parlamentar também disse ter uma boa relação com a bancada oposicionista, da qual fez parte até o início do ano. “É possível que a Oposição marche comigo, são pessoas sérias que querem desenvolvimento no Estado. Vou conversar com todos eles”, disse.

Prefeitos eleitos
A decisão de realizar a eleição da Mesa Diretora ainda neste ano possibilita que sete deputados estaduais que saíram vitoriosos na eleição majoritária em suas cidades possam escolher a composição da Mesa, mesmo sem participar da próxima legislatura. De acordo com o regimento interno da Alepe, a eleição da Mesa Diretora para o segundo biênio de uma legislatura pode ser realizada entre 1º de dezembro e 1º de fevereiro.

 

Veja também

Juiz que não suspendeu nomeação de Weintraub ao Banco Mundial é tio do advogado de Queiroz
Política

Juiz que não suspendeu nomeação de Weintraub ao Banco Mundial é tio do advogado de Queiroz

Empresários pedem a Bolsonaro para manter pacificação e destravar crédito
Economia

Empresários pedem a Bolsonaro para manter pacificação e destravar crédito