Do hospital, Bolsonaro faz live e se emociona ao citar médicos

Ele também fez um repasse das ações mais recentes do governo, como a edição da medida provisória (MP) e da MP que garante pensão a crianças nascidas com microcefalia

Jair Bolsonaro em live no FacebookJair Bolsonaro em live no Facebook - Foto: Reprodução / Facebook

Mesmo hospitalizado para se recuperar de uma cirurgia, o presidente Jair Bolsonaro fez sua live semanal nesta quinta-feira (12), diretamente do quarto onde está internado, no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. A transmissão ao vivo durou três minutos, e o presidente apareceu sentado atrás de uma mesa e usando uma sonda nasogástrica, utilizada para alimentação. Ele fez um repasse das ações mais recentes do governo, como a edição da medida provisória (MP) que institui a carteira estudantil digital e da MP que garante pensão a crianças nascidas com microcefalia ligada ao zika.

"Essa live não pode durar mais que dois minutos por determinação médica. Apenas me apresento agora para não quebrar a rotina. Como toda a semana, temos muita coisa boa a informar ao Brasil", disse Bolsonaro. Em seguida, ele disse que na live semana vem detalhará cada uma das medidas citadas.

Bolsonaro ainda mencionou a visita que recebeu hoje do cirurgião Luiz Henrique Borsato, médico que o operou em Juiz de Fora (MG), logo após o então candidato à Presidência receber uma facada, em um evento da campanha eleitoral. O presidente contou que Borsato fez um relato das graves condições em que Bolsonaro chegou ao hospital no dia do atentado e aproveitou para agradecer o trabalho do médico.

Leia também:
Bolsonaro ficará mais 4 dias afastado da Presidência por orientação médica
Bolsonaro mandou Guedes demitir Cintra, diz Mourão

"Ele conta, com detalhes, que, por questão de milímetros, a faca não atingiu pontos vitais. Ela passou a milímetros da veia cava, do estômago, do coração. Então, é uma visita que eu não tinha como não me emocionar", disse o presidente. Na sequência, ao citar o médico Antonio Luiz Macedo, cirurgião responsável pelas suas últimas três operações, Bolsonaro se emocionou e ficou com a voz embargada.

Por recomendação médica, Bolsonaro ficará afastado das funções por mais quatro dias e só deve retomar o governo do país a partir da próxima terça-feira (17). Até lá, o vice Hamilton Mourão continua como presidente em exercício.

Veja também

Marco Aurélio, do STF, recebe alta após operação no joelho
Geral

Marco Aurélio, do STF, recebe alta após operação no joelho

Congresso fará aperfeiçoamento da reforma administrativa, diz ministro
Política

Congresso fará aperfeiçoamento da reforma administrativa, diz ministro