Doria vai multar MBL por colar cartazes em SP com crítica a sua gestão

Os militantes do grupo afirmam, em vídeo postado na internet e divulgado pela revista "Veja", que Doria "traiu seus eleitores"

Kim Kataguiri e João DoriaKim Kataguiri e João Doria - Foto: Reprodução/ Facebook

A gestão João Doria (PSDB) afirmou que vai multar o MBL (Movimento Brasil Livre) por colar cartazes na região da avenida Paulista, no centro de São Paulo. Aliado do tucano, o movimento colou cartazes com críticas a Doria, relacionado ao plano dele para regular os aplicativos de veículos.

No início da gestão, o tucano se posicionou contra pichadores e vandalismo na cidade. Colar cartazes é proibido na cidade de São Paulo. Questionada pela reportagem sobre o assunto, a prefeitura afirmou "que multará os responsáveis pela colocação dos cartazes e que as equipes de limpeza já estão retirando os adesivos afixados na região".

Leia também:
Deputados tucanos pedem a Doria que se candidate ao governo de SP
Doria pede a Temer união nas eleições de 2018

A peça de protesto faz uma brincadeira com o slogan de Doria, "João Trabalhador", ao chamá-lo de "João Desempregador". Os militantes do grupo afirmam, em vídeo postado na internet e divulgado pela revista "Veja", que Doria "traiu seus eleitores". "Para quem diz que a gente não critica o PSDB, a gente está batendo hoje no João Doria por causa da canalhice que ele fez", disse um dos integrantes do grupo no vídeo. Os integrantes do MBL comparam Doria ao ex-prefeito Fernando Haddad, do PT, partido que sofre mais críticas do grupo.

Membro do MBL, o prefeito regional de Pinheiros (zona oeste), Paulo Mathias, foi às redes sociais criticar o MBL. "Todos vocês sabem que sou membro do MBL e defendo grande parte de tudo que reivindicam na política brasileira mas, nesse episódio dos aplicativos, na minha opinião, erraram. A resolução 16 também não é do meu agrado mas, nem por isso, vou sair por aí sujando a cidade, seja em patrimônio público ou privado", afirmou. Segundo ele, tratam-se das "mesmas estratégias da esquerda que sempre condenamos. Sempre fui contra isso e não poderia deixar de expressar minha opinião, independente de qualquer coisa".

O MBL atuou como tropa de choque de Doria nas redes sociais e tem cargos na gestão tucana. No entanto, não é a primeira vez que faz críticas a Doria –em outra ocasião, protestaram contra a decisão de cobrar imposto da Netflix. A reportagem enviou e-mail para a direção do MBL sobre o assunto e, assim que receber resposta, acrescentará nesta reportagem.

Uber
Pelas novas regras, anunciadas em julho do ano passado, motoristas terão que fazer cursos preparatórios, obedecer regras de etiqueta e de vestimenta, submeter seus veículos a uma inspeção e andar com identificação visual específica no painel veículo. Carros com placas de outras cidades também estão proibidos de pegar passageiros dentro de São Paulo.

Veja também

Fachin nega recurso da PGR para ter acesso a dados da Lava Jato
Lava Jato

Fachin nega recurso da PGR para ter acesso a dados da Lava Jato

Medidas provisórias perdem a validade no Congresso com articulação falha do governo
Política

Medidas provisórias perdem a validade no Congresso com articulação falha do governo