'É que nem mulher traída, apanha, mas volta', diz líder do PSL em recuo sobre Bolsonaro

O parlamentar foi gravado na reunião do grupo ligado ao presidente da legenda, Luciano Bivar, na Câmara, por Daniel Silveira

Delegado WaldirDelegado Waldir - Foto: Agência Brasil

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), voltou atrás depois de ser gravado em reunião do partido dizendo que implodiria o presidente Jair Bolsonaro.  "Isso já passou. Nós somos Bolsonaro. Somos que nem mulher traída, apanha, mas mesmo assim volta ao aconchego", afirmou nesta quinta-feira (17).

O parlamentar foi gravado na reunião do grupo ligado ao presidente da legenda, Luciano Bivar (PSL-PE), na Câmara, por Daniel Silveira (PSL-RJ). O encontro se deu nesta quarta (16). "Vou fazer o seguinte, eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele, eu tenho a gravação. Não tem conversa, eu implodo o presidente, cabô, cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo, cara. Eu votei nessa porra, eu andei no sol 246 cidades, no sol gritando o nome desse vagabundo", disse Waldir no áudio.

Leia também:
Delegado Waldir permanecerá como líder do PSL na Câmara
Líder do PSL na Câmara diz em áudio que vai implodir Bolsonaro
 

Nesta quinta, ele contemporizou a fala, que disse vir de "momento de sentimentos". "É uma fala de emoção", afirmou. Ele disse que foi motivado por um sentimento de que o presidente foi ingrato com os parlamentares. "Não só comigo, com dezenas de parlamentares, com o presidente Luciano Bivar", disse.

O líder afirmou que trabalhará para unificar a bancada. Waldir disse que os excessos de deputados dissidentes serão punidos."Existe o Conselho de Ética da Câmara e do partido, existem várias normas e dentro desse regramento com certeza nós iremos representar contra quem cometeu excessos", disse na saída de almoço com a bancada, que também reuniu o presidente da legenda.

Veja também

Marco Aurélio, do STF, recebe alta após operação no joelho
Geral

Marco Aurélio, do STF, recebe alta após operação no joelho

Congresso fará aperfeiçoamento da reforma administrativa, diz ministro
Política

Congresso fará aperfeiçoamento da reforma administrativa, diz ministro