Política

Eike divide cela em Bangu com outros presos na Lava Jato

Eike foi transferido para Bangu no começo da tarde de segunda (30), horas depois de ser preso, durante a operação Eficiência

Eike BatistaEike Batista - Foto: Divulgação

O empresário Eike Batista divide a cela da cadeia pública Bandeira Stampa, em Bangu 9, zona oeste do Rio, com o doleiro Álvaro José Galliez Novis e Wagner Jordão Garcia, também presos na Operação Eficiência, braço da Lava Jato no Rio.

Leia Mais

Família de Eike faz campanha pelo empresário nas redes sociais

A cela, de 15m², tem televisão e ventilador. Fotos exibidas nesta terça (31) pelo "Jornal Nacional" mostram uma garrafa d'água mineral, um livro, roupas e sacos plásticos sobre a parte de cima de uma beliche, onde o empresário passou a primeira noite.

Há ainda pacotes de biscoito sobre uma bancada e uma série de garrafas d'água no cárcere. Outra imagem mostra uma marmita oferecida no presídio, com arroz, farofa e salsicha. O banheiro é separado por duas paredes, sem porta, e tem apenas um vaso sanitário no nível do chão. O presídio passa por racionamento de água.

Eike foi transferido para Bangu no começo da tarde de segunda (30), horas depois de ser preso, durante a operação Eficiência, deflagrada pela Polícia Federal no dia 26.

Ele estava na cadeia de Ary Franco, zona norte do Rio, que funciona como unidade de triagem. Havia a preocupação de que Eike ficasse na unidade, construído no fim dos anos 1970, conhecida pelas péssimas condições sanitárias e superlotação -presos convivem com ratos, morcegos e baratas. Muitas das celas estão no subsolo.
Quando a operação estourou, o empresário estava fora do país e foi considerado foragido pela Justiça, procurado pela Interpol (Polícia Internacional). Seus advogados negaram, na ocasião, que ele tivesse fugido.

Ele teve a prisão decretada depois que dois doleiros fizeram acordos de delação premiada e contaram que ele pagou US$ 16,5 milhões em propina ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral, que está preso.

Veja também

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma de fogo no aeroporto
Política

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda
Mundo

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda