Eike não respondeu a perguntas em depoimento, diz advogado

Eike é suspeito de ter repassado US$ 16,5 milhões de propina ao ex-governador Sérgio Cabral

Eike BatistaEike Batista - Foto: Divulgação

O advogado Fernando Martins, que representa Eike Batista na Operação Eficiência, afirmou que o empresário se reservou ao direito de ficar calado no depoimento prestado nesta terça-feira (31) na Polícia Federal.

Eike permaneceu por mais de duas horas na Superintendência da PF no Rio.
Martins, contudo, disse que o prazo se deve à necessidade de procedimentos burocráticos."Ele afirmou que vai responder apenas em juízo. A única pergunta que ele respondeu foi se ele havia tido conhecimento prévio da operação, o que ele negou", disse o advogado.

Eike é suspeito de ter repassado US$ 16,5 milhões de propina ao ex-governador Sérgio Cabral, por meio de uma conta no Uruguai dos irmãos Renato e Marcelo Chebar, operadores do mercado financeira que firmaram delação premiada com o Ministério Público Federal.

O empresário estava em Nova York no dia da operação, motivo pelo qual foi questionado sobre suposto vazamento.
Ele embarcou na terça-feira (24), dois dias antes da deflagração da operação.

Veja também

CPI da Covid deve ter maioria de senadores independentes ou de oposição; veja prováveis nomes
Pandemia

CPI da Covid deve ter maioria de senadores independentes ou de oposição; veja prováveis nomes

Senado aprova prorrogação da situação de emergência de saúde no País
Pandemia

Senado aprova prorrogação da situação de emergência de saúde no País