Em balanço, Eunício diz que vai agir com diálogo sobre MP da reforma trabalhista

"Nesse momento que o país enfrenta enorme dificuldade na sua economia, a aprovação da reforma trabalhista abre a possibilidade de criarmos mais empregos tão necessários à população", disse sobre a aprovação

Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE)Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) - Foto: Divulgação

Após uma semana agitada com a votação da reforma trabalhista, o Senado já entra em clima de recesso. Oficialmente, as férias dos parlamentares começam na próxima terça-feira (18) e vão até o dia 31 julho. No entanto, a votação, em sessão do Congresso, da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2018 nesta quinta (13) abriu caminho para que senadores e deputados antecipassem o recesso. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, fez um balanço das votações no primeiro semestre deste ano. E adiantou que um dos desafios para os próximos seis meses será a votação da Medida Provisória sobre a reforma trabalhista. As informações são da Agência Brasil.

Segundo a Secretaria-Geral da Mesa do Senado, no primeiro semestre deste ano, foram realizadas 104 sessões plenárias e aprovadas 96 matérias. Na lista há, por exemplo, 33 projetos de decreto legislativo, 28 projetos de lei da Câmara, 17 medidas provisórias e duas propostas de emenda à Constituição.

Em entrevista à "TV Senado", o presidente da Casa, Eunício Oliveira, fez um balanço dos seis meses de trabalho. "Nesse momento que o país enfrenta enorme dificuldade na sua economia, a aprovação da reforma trabalhista abre a possibilidade de criarmos mais empregos tão necessários à população", disse sobre a aprovação da proposta, que já foi sancionada pelo presidente Michel Temer, tornando-se lei e entrará em vigor em quatro meses.

Além da aprovação da reforma trabalhista, Eunício destacou a criação do Cartão Reforma, que permite a famílias de baixa renda construir e reformar as casas, e as propostas de liberação dos saques das contas inativas do FGTS e a convalidação dos incentivos fiscais que acaba com a guerra fiscal entre os estados.

Cearense, o presidente do Senado também ressaltou a liberação de R$ 517 milhões para conclusão da última etapa da obra de transposição do Rio São Francisco.

PRÓXIMO SEMESTRE
Para o próximo semestre, um dos desafios será a análise de medida provisória que trata de pontos polêmicos da reforma trabalhista como o trabalho intermitente, a jornada de 12 horas por 36 horas e o trabalho em condições insalubres das gestantes e lactantes, Eunício Oliveira prometeu agir "com serenidade, disposição e diálogo".

Após sancionar a reforma, sem vetos, o presidente Temer enviou aos parlamentares uma minuta da medida provisória com os pontos que pretende alterar da reforma trabalhista. A minuta toca em dez pontos da reforma, entre eles temas polêmicos que foram discutidos durante a tramitação da proposta no Congresso. A MP faz parte de um acordo do governo com a base aliada para agilizar o andamento da reforma no Senado.

Segundo o líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RO) e relator da reforma na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), não há prazo definido para a conclusão da MP.

Veja também

Bolsonaro diz que China liberou insumos para produção da Coronavac no Brasil
Vacina

Bolsonaro diz que China liberou insumos para produção da Coronavac no Brasil

Jair Bolsonaro vê pressão subir e queda de apoio popular
PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Jair Bolsonaro vê pressão subir e queda de apoio popular