Em disputa com Haddad, Ciro cobra de Bolsonaro respeito à democracia

'Que não pense o senhor presidente eleito, nem de longe, em violar o respeito que deve ao conjunto da nação', disse pedetista por meio de nota

Ex-candidato voltou ao Brasil para votação na sexta-feira, após temporada na EuropaEx-candidato voltou ao Brasil para votação na sexta-feira, após temporada na Europa - Foto: Reprodução/Facebook

Na tentativa de se viabilizar como principal voz de oposição a Jair Bolsonaro, o ex-governador cearense Ciro Gomes afirmou, nesta segunda-feira (29), que fará um enfrentamento político com o capitão reformado e que irá cobrar dele respeito ao conjunto da sociedade, incluindo os grupos minoritários.

Em carta aberta, divulgada nas redes sociais, ele pregou a necessidade do militar respeitar os valores democráticos e de não desrespeitar a Constituição Federal. "Que não pense o senhor presidente eleito, nem de longe, em violar o respeito que deve ao conjunto da nação, independentemente de configurarem minorias ou grupos sociais críticos às suas posturas. Só assim merecerá o respeito à autoridade que adquiriu nas eleições", disse.

Leia também:
Fernando Haddad deseja 'boa sorte' a Bolsonaro
Trump liga e cumprimenta Bolsonaro por vitória na eleição
Marina se diz preocupada, mas também confiante
Líderes da direita na Europa desejam boa sorte a Bolsonaro


Em uma crítica indireta ao PT, partido ao qual tem tentando se diferenciar no campo da esquerda, ele ressaltou que a um "democrata verdadeiro" se impõe reconhecer a vitória de um adversário político e que a nova oposição não se confunde com forças que só defendem a democracia "ao sabor de seus interesses mesquinhos". "Nos enfrentará a todos nós que lhe movemos oposição dentro do marco da decência e do espírito público. Essa oposição que nasce não se confunde com forças que só defendem a democracia ao sabor de seus interesses mesquinhos ou crescentemente inescrupulosos ou mesmo despudoradamente criminosos", disse.

O tom da carta é uma tentativa de Ciro de se colocar como uma alternativa no campo oposicionista a Fernando Haddad, que já tem articulado uma frente de esquerda, encabeçadas por ele, de oposição ao novo governo. A ideia é que, a partir de janeiro, o PDT já lance Ciro como candidato em 2022 ao Palácio do Planalto. Ele pretende aumentar a sua presença em Brasília no próximo ano e iniciar um périplo pelo país para consolidar o seu nome.

Confira nota na íntegra:

Veja também

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara
STF

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação
Pandemia

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação