Em PE, ministro Ramos terá reunião com Paulo Câmara

Agenda inclui IRB, Amupe e Palácio das Princesas

Ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos e Paulo Câmara, governador do estado de PEMinistro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos e Paulo Câmara, governador do estado de PE - Foto: Eduardo Ramos - Folhapress // Helia Scheppa

A agenda se dará na próxima quinta-feira e deve se configurar num movimento de aproximação institucional entre o Governo Federal e o Governo de Pernambuco. Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos desembarca no Estado, às 10h, e vai cumprir uma extensa agenda, que se encerra no Palácio das Princesas, onde deve ir à mesa com o governador Paulo Câmara e com a bancada federal pernambucana. General de Exército e amigo do presidente Jair Bolsonaro, Ramos assumiu, em julho, a articulação política junto ao Congresso Nacional. Foi dele a iniciativa de vir a Pernambuco tratar com o governador socialista, que vem fazendo contrapontos subsequentes a Bolsonaro, como ocorreu na Climate Week, em Nova York, essa semana. Ramos fará uma primeira parada no Instituto Ricardo Brennand, onde almoçará. De lá, seguirá para Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe). Na Amupe, se reunirá com prefeitos de todo o Estado e, então, segue para o Palácio das Princesas. A reunião está prevista para as 17h. De Pernambuco, ele seguirá para Paraíba, onde também terá compromissos.

Na semana retrasada, o ministro da Justiça, Sergio Moro, chegou a telefonar para Paulo Câmara, visando a cumprir uma agenda do programa Em Frente, Brasil, em Pernambuco, mas o socialista informou que não seria possível, porque já tinha compromissos em Fernando de Noronha , agendados desde maio. Moro, então, resolveu adiar a agenda. A passagem de Ramos deve ter na pauta, entre outros temas, a questão do Pacto Federativo e, naturalmente, a quebra do gelo com o chefe do Executivo estadual.

 

Distribuição de espaços na pauta
O Governo Federal abriu diálogo com alguns partidos, entre eles, com o PRB para discutir a participação das siglas na gestão federal. Parlamentares avaliam que o presidente Jair Bolsonaro
começa a compreender que, para governar o Brasil, vai precisar dialogar com o Congresso e prestigiar parlamentares.
2º escalão > O governo sinaliza que viabilizará as indicações para o 2º escalão. Há conversas com partidos como Solidariedade, PTB, PRB....A expectativa é de que, nos próximos 30 dias, os espaços nos estados sejam resolvidos.
Henry e FBC... > A filiação de Totonho Valadares ao MDB se dará, hoje, em Afogados da Ingazeira, nas presenças do presidente da sigla, Raul Henry, e do senador Fernando Bezerra Coelho.
...filiam > Totonho é ex-socialista e deve concorrer com o candidato apoiado pelo prefeito José Patriota, da base do governo. O ato será às 10h na Câmara de Vereadores da cidade.
Já vi esse...> Henry tem dito que não há "nenhuma dificuldade" com o PSB em relação a isso, "porque, em 2016, já aconteceu isso". E sublinha: "Inclusive, usei esse argumento na nossa defesa naquela luta com Fernando Bezerra Coelho pelo comando do partido em Pernambuco".
...filme > Raul detalha: "Que nós não tínhamos nos comportado, em Pernambuco, como sublegenda, nem do PSB nem de nenhum partido. No interior do Estado, 76% das eleições que nós vencemos tinha candidato do PSB também disputando".
Sextou > Do eco das declarações de Rodrigo Janot sobre ter ido armado ao STF para matar Gilmar Mendes à recomendação de tratamento psiquiátrico ao ex-procurador da República, feita por Gilmar, o dia, ontem, passou por busca e apreensão na casa de Janot, proibição do porte de arma dele e antes que terminasse, procuradores da Lava Jato pediram a prisão domiciliar para Lula... 

Veja também

Rádio Folha sai na frente com debates de candidatos a prefeito do Recife
Eleições 2020

Rádio Folha sai na frente com debates de candidatos a prefeito do Recife

Mulheres ganham protagonismo no Recife
Edmar Lyra

Mulheres ganham protagonismo no Recife