Em PE, PSDB deixar oposição é senha para PSB apoiar Alckmin

Membros do PSDB-PE observam que Alckmin não fez movimento no sentido de empurrar o partido para o palanque de Paulo Câmara

Geraldo Alckmin e Paulo CâmaraGeraldo Alckmin e Paulo Câmara - Foto: divulgação

Pré-candidato a governador de São Paulo, Márcio França faz o seguinte cálculo: para aumentar sua vantagem no Nordeste, de forma a tentar quebrar o favoritismo do PT na região, Geraldo Alckmin precisaria ter Pernambuco ao seu lado na corrida pelo Planalto. Márcio argumenta que o eleitor tende a votar no candidato de seu Estado; lembra que o Ceará terá Ciro Gomes no páreo da disputa presidencial e aposta que o PT, caso não tenha Lula, pode indicar Jaques Wagner, ex-governador da Bahia, o que deixaria margem pequena para Alckmin trabalhar nesses locais, restando o Estado governado por Paulo Câmara como foco. No Palácio das Princesas, Alckmin é o nome do PSDB visto como mais viável para se fazer uma aliança. De outro lado, o próprio Paulo Câmara já realçou que a eleição de Márcio em São Paulo é prioridade para o PSB, do qual ele é vice-presidente nacional.

Na visão de interlocutores de Paulo Câmara, estar com o PSDB numa aliança nacional seria possível não fosse o fato de os tucanos encontrarem-se na oposição no Estado. Palacianos, no momento, não veem como mudar isso no âmbito local. E ter o PSDB no palanque de Paulo Câmara seria uma das senhas, segundo governistas, para que o governador pernambucano pudesse trabalhar por uma aliança nacional com o tucanato. Segundo Márcio já registrou, Alckmin tem consciência dessa força do PSB em Pernambuco. No entanto, o governador paulista, que, na avaliação de correligionários, não tem perfil dele pressionar, não fez movimento algum ainda, dizem tucanos de Pernambuco, no sentido de empurrar a sigla para o palanque de Paulo Câmara.

Prevendo dilúvio
O TCE alertou o Governo do Estado sobre o risco de uma grande enchente em Olinda pela paralisação das obras no Canal do Fragoso. A obstrução do canal foi a responsável por uma grande inundação em maio de 2016. Segundo o TCE, as obras estão paralisadas e correm risco de virarem um "elefante branco". O secretário Kaio Maniçoba foi comunicado pela relatora Teresa Duere.

Voo 1 > Novo líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Nilson Leitão (MT) deixou Pernambuco anteontem. Ele e o deputado Carlos Sampaio (SP) desembarcaram no Estado na última sexta e seguiram para o Litoral Sul acompanhados do deputado Bruno Araújo.

Voo 2 >
Nilson Leitão, que substitui Ricardo Tripoli, vai ter o pernambucano Betinho Gomes como um de seus de více-líderes e assume o comando de uma bancada que rachou completamente na votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, apesar de ter ministros na gestão do peemedebista.

Pendência > Em conversas de bastidores, juízes têm realçado que o ministro Luiz Fux liberou para votação em plenário liminar concedida por ele em 2014 - determinando o pagamento de auxílio-moradia para magistrados do País - por não ter condições de assumir o TSE, no dia 6 de fevereiro, mantendo esse assunto pendente.

Poucas chances > O zum-zum-zum é crescente em rodas de magistrados porque a presidente do STF, ministra Cármem Lúcia, já informou às associações de juízes e do MP que pautará a ação até março. E é voz corrente que a maioria do STF é contra o auxílio de R$ 4,3 mil mensais.

Vai copiar > O ministro José Múcio enaltece a atuação do Tribunal de Contas de Pernambuco e defende a adoção de modelos aplicados no TCE pelo Tribunal de Contas da União, a exemplo do prazo de 60 dias para devolução de pedido de vista. No TCU, não há prazo.

Veja também

Ricardo Teobaldo fortalece Podemos nas eleições municipais
Edmar Lyra

Ricardo Teobaldo fortalece Podemos nas eleições municipais

A disputa se afunila em Salgueiro
Carlos Britto

A disputa se afunila em Salgueiro