Em viagem, Crivella se diz grato por intervenção na segurança do Rio

Prefeito passou por Alemanha, Áustria e Suécia, alegando estar em busca de soluções tecnológicas para melhorar a segurança do Rio

Marcelo Crivella (PRB)Marcelo Crivella (PRB) - Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Em viagem ao exterior, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), agradeceu o governo federal pela decisão de intervir na segurança do Estado. Crivella está na Europa desde domingo (11), em viagem que custou cerca de R$ 130 mil aos cofres do município.

"Agradeço e parabenizo o presidente Temer pela ajuda ao Rio", disse o prefeito, por meio de sua assessoria de imprensa, acrescentando que havia pedido intervenção em setembro, no evento de lançamento do Calendário Rio de Janeiro a Janeiro. "Lamento que isso não tenha ocorrido naquela ocasião", conclui o prefeito, que deve retornar à cidade neste fim de semana.

A viagem de Crivella foi bastante criticada por ter ocorrido em meio a um dos eventos mais importantes do calendário carioca, com estimativa de público de 6 milhões de pessoas, segundo a própria prefeitura. Na viagem, o prefeito passou por Alemanha, Áustria e Suécia, alegando estar em busca de soluções tecnológicas para melhorar a segurança do Rio.

Leia também:
Alto comando do Exército está reunido para tratar da intervenção no Rio
Temer assina decreto de intervenção das Forças Armadas na segurança do Rio
Intervenção no Rio altera tramitação da reforma da Previdência na Câmara
'Dura e extrema', diz Rodrigo Maia sobre intervenção no Rio de Janeiro
Pedidos anteriores de intervenção federal no DF e ES foram barrados


Os gastos totalizam cerca de R$ 130 mil. Segundo a prefeitura, apenas com passagens, foram R$ 21.545 por integrante da comitiva - além do prefeito, o chefe executivo do Centro de Operações Rio, Guilherme Sangineto, o diretor-presidente da Empresa Municipal de Informática, Fábio Pimentel de Carvalho, o chefe de inteligência da Polícia Militar, coronel Antônio Goulart e o engenheiro Luis La Torre. As diárias do prefeito são de 435,87 euros e as de Sangineto e Pimentel, 358,03 euros. Goulart e La Torre não tiveram diárias pagas pela prefeitura.

Na madrugada desta quinta (15), um temporal matou quatro pessoas e gerou grandes transtornos para os cariocas, com problemas no sistema de transporte e em hospitais. Em post publicado em rede social na manhã daquele dia, Crivella disse que estava "acompanhando a situação".

Veja também

Carta Brasileira sobre Cidades Inteligentes está aberta à consulta
Política

Carta Brasileira sobre Cidades Inteligentes está aberta à consulta

Vitórias no STF geram economia de R$ 600 bilhões ao erário
Política

Vitórias no STF geram economia de R$ 600 bilhões ao erário