Congresso

Emendas atraem políticos de volta ao Congresso

Cinco parlamentares licenciados voltaram para o Legislativo Federal para fazer as proposições ao Orçamento da União

Felipe CarrerasFelipe Carreras - Foto: Maria Nilo/ Folha de Pernambuco

O prazo para apresentação de emendas parlamentares forçou o retorno de deputados pernambucanos licenciados ao Congresso Nacional. Ao todo, esta semana foi marcada pela volta de cinco parlamentares para o Legislativo Federal para fazer as proposições ao Orçamento da União, sendo dois secretários estaduais (Felipe Carreras e Kaio Maniçoba) e três ministros (Mendonça Filho, Bruno Araújo e Fernando Filho).

O objetivo das lideranças é não perder a oportunidade de contemplar suas bases em pleno ano pré-eleitoral. Isso porque as emendas são uma forma de atender os prefeitos aliados dos legisladores, que são os principais cabos eleitorais no pleito estadual. Os recursos acabam virando instrumento de troca para a conquista de votos nos municípios.

A manobra, contudo, acabou deixando de fora os suplentes Luciano Bivar (PSL), Guilherme Coelho (PSDB), Severino Ninho (PSB), Creuza Pereira (PSB) e Carlos Eduardo Cadoca (sem partido). Também exonerado no meio desta semana, o ministro da Defesa, Raul Jungmann (PPS), deverá retornar à pasta. Sua volta foi motivada pela tentativa do presidente Michel Temer (PMDB) em influenciar a bancada do PSB. Mas a tentativa acabou não surtindo efeito porque o auxiliar ministerial não tomou posse do cargo a tempo.

No caso dos ministros, a volta tem o intuito de não somente favorecer os auxiliares, mas também barrar a segunda denúncia que tramita contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara Federal. A votação deverá ser feita na semana que vêm. A intenção do Palácio do Planalto é tirar os parlamentares que se posicionam contra o chefe do Executivo. Neste caso, os deputados Ninho e Creuza que são, respectivamente, o terceiro e segundo da lista de suplência. A volta antecipada vem como bônus para contemplar os auxiliares.

Ontem, o dia foi de correria entre os parlamentares para apresentar as proposições ao orçamento da União dentro do limite do prazo. O ministro Fernando Filho deverá destinar suas emendas para suas bases no Sertão do São Francisco, Itaparica e Pajeú. A maioria das ações deve ser destinada para perfuração de poços e máquinas em atenção a crise hídrica.

Já o secretário de Turismo, Felipe Carreras (PSB), entregará um pacote com 17 emendas parlamentares, com base em bandeiras defendidas durante a campanha eleitoral. Os recursos serão destinados para ciclomobilidade, esportes, apoio aos paratletas,programa Bolsa Atleta, de exoneração fiscal do setor hoteleiro, no combate ao desperdício de alimentos e direito animal. Os demais ainda estavam fechando suas propostas. Carreras depende da orientação do governador Paulo Câmara para definir se retorna ao Palácio das Princesas ou se vota a denúncia contra Temer. Já Kaio Maniçoba deverá retornar ao secretariado estadual.

Veja também

Acusado de rifar Temer, Pacheco busca sair da sombra de Alcolumbre
Senado

Acusado de rifar Temer, Pacheco busca sair da sombra de Alcolumbre

Tebet modulou postura independente e combativa para romper resistências
Senado

Tebet modulou postura independente e combativa para romper resistências