Entre PSB e PSDB, “cardápio” pode mudar

Alckmin vem acompanhar testes da primeira vacina brasileira contra a dengue desenvolvida pelo Instituto Butantan

Líderes petistas participaram do encontro que escolhe, neste sábado, o presidente do PTLíderes petistas participaram do encontro que escolhe, neste sábado, o presidente do PT - Foto: Roberto Stuckert Filho/Divulgação

Em São Paulo, a relação entre PSB e PSDB continua bem estreita. Diferente do cenário de Pernambuco, onde houve estremecimentos em meio às definições dos palanques para a disputa municipal no Recife. O governador Geraldo Alckmin evita antecipar-se, mas o resultado da eleição de 2016, na Capital paulista, o fortaleceu ainda mais, em seu partido, para a corrida presidencial de 2018. O episódio levantou, nas hostes socialistas, uma tema que andava adormecido: as chances de travessia do tucano para o PSB. O vice-governador de São Paulo, Márcio França, do PSB, já se mostrou um dos entusiastas desse movimento. Nas coxias do PSB, a musculatura que Alckmin conquistou com a vitória de João Dória é vista por alguns como uma via de mão dupla. “Tanto pode ser uma coisa, como pode ser outra. Às vezes, você se fortalecer, do ponto de vista eleitoral, pode enfraquecer do ponto de vista da estrutura da máquina partidária, porque quem controla a máquina do PSDB não é ele”, avalia um graduado socialista. E reforça: “Às vezes, o fato de estar muito forte, eleitoralmente, e não controlar a máquina pode aumentar o problema”. Em outras palavras, uma eventual travessia não está descartada, mas socialistas evitam se imiscuir nos assuntos do tucanato publicamente de forma a não azedar a relação. Hoje, Alckmin desembarca, em Pernambuco, para agenda administrativa. Cuidou de vir circular pessoalmente, em vez de enviar o secretário de Saúde, por exemplo. E alinhavou, ele próprio, a parte política da história: convidou o governador Paulo Câmara para participar do ato. Recebeu convite de volta para um almoço. Até 2018, o cardápio pode mudar. Por enquanto, as pontes vão sendo erguidas.

Alckmin vem acompanhar testes da primeira vacina brasileira contra a dengue desenvolvida pelo Instituto Butantan

Paulo convida
Geraldo Alckmin telefonou, na segunda-feira, para o governador de Pernambuco, chamando-o para acompanhar a programação. Paulo Câmara tratou de convidá-lo, então, para ir à mesa, no Palácio das Princesas, hoje, no almoço O vice-governador, Raul Henry, está entre os que compartilharão o menu com o tucano.
Você... >Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira avalia que o diálogo mantido pelo PSB com Geraldo Alckmin se dá, “não em função da vinda dele para o PSB - essa decisão, ao contrário, é de lá para cá, se houver, algo muito pessoal do governador”.

...decide > À coluna, Siqueira, cauteloso, sublinha: “A boa relação e o diálogo que mantemos com ele, a ponto de termos o vice-governador (Márcio França), não diz respeito à filiação dele ao PSB. A filiação é uma decisão muito mais dele do que nossa”.

Caça ao... > Parlamentares e ministros estavam reunidos na casa do deputado federal Heráclito Fortes, ontem, no encontro do G-8, que, tradicionalmente, ocorre na terça-feira. Mas havia sido adiado. De Pernambuco, participavam os dois ministros, Raul Jungmann e Mendonça Filho, e os deputados Tadeu Alencar e Jarbas Vasconcelos.

...pokémon > O grupo ia começar “os trabalhos” quando circularam as primeiras informações da prisão de Eduardo Cunha. Foram largando os talheres e trocando os pratos pelos celulares. Em determinado momento, “estavam oito pessoas todas agarradas com seus WhatsApps”, como definiu Jarbas.
Anunciada > Crítico ferrenho de Eduardo Cunha, Jarbas Vasconcelos não deixaria de dar sua opinião. Estranhou que deputados, no salão verde, tenham se surpreendido. “Todo mundo sabia que isso ia ocorrer e a maioria da população estava desejando que ele fosse preso. Esse negócio vem rolando desde o ano passado”.
Volta por cima > No mais, ele acredita ter sido “bom” para Lava Jato, acha que “fortalece” a operação, após o episódio em que os procuradores do Ministério Público Federal, na análise dele, “carregaram muito nas tintas” ao denunciar Lula, “carregando na adjetivação”. Jarbas arremata: “Depois, mostra que não teve seletividade”.

 

Veja também

Miguel Coelho anuncia medidas mais rígidas em Petrolina para combater pandemia

Miguel Coelho anuncia medidas mais rígidas em Petrolina para combater pandemia

Após decisão do presidente do STJ, Queiroz deixa presídio no Rio para cumprir pena em casa
justiça

Após decisão do presidente do STJ, Queiroz deixa presídio no Rio para cumprir pena em casa