Escola sem Partido fica para ano que vem

Apoio ao Escola sem Partido como lei tem diminuído. Nomes como o presidente do DEM, ACM Neto, e Olavo de Carvalho, já declararam ser contra uma lei

Comissão da Câmara discute o projeto de lei sobre a Escola sem PartidoComissão da Câmara discute o projeto de lei sobre a Escola sem Partido - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O projeto Escola sem Partido não será mais votado neste ano na Câmara. O presidente da comissão, Marcos Rogério (DEM), disse que não irá mais convocar reuniões. Dessa forma, o tema só será debatido na próxima legislatura. A avaliação do presidente da comissão e do relator, deputado Flavinho (PSC), é de que não haveria mais tempo para votar neste ano.

O apoio ao Escola sem Partido como lei tem diminuído. Nomes como o presidente do DEM, ACM Neto, e Olavo de Carvalho, já declararam ser contra uma lei. Marcos Rogério se queixou durante reunião da comissão nesta terça-feira (11) da ausência de parlamentares que apoiam a proposta nas reuniões. A oposição classificou como vitória a obstrução da matéria na comissão.

O projeto busca restringir o que o professor pode falar na sala de aula como forma de combate a uma suposta doutrinação política por parte dos docentes. Veta ainda abordagens de gênero educação e também prevê a afixação de um cartaz na sala com deveres dos professores.

Leia também:
Em sessão tumultuada, votação do Escola sem Partido é suspensa
Escola sem Partido coloca uma incógnita na educação
Collins assume a autoria do projeto Escola sem Partido


O projeto está em discussão em comissão especial na Câmara desde julho. Após a eleição, os debates se intensificaram. Nesta terça-feira (11) mais uma vez houve bate-boca entre apoiadores e críticos ao projeto. A sessão foi interrompida quando se iniciou a ordem do dia no Plenário. Ao fim, o presidente da comissão informou que não iria mais convocar reuniões.

Veja também

Rachado entre aliados e opositores de Bolsonaro, PSL filia vereador e abre caminho para MBL
Partido

Rachado entre aliados e opositores de Bolsonaro, PSL filia vereador e abre caminho para MBL

Relator pede afastamento de Daniel Silveira por gravação de reunião
Política

Relator pede afastamento de Daniel Silveira por gravação de reunião