Ex-assessor de Flávio Bolsonaro é internado e falta a novo depoimento

A Promotoria afirmou que a defesa do PM disse que ele "precisou ser internado na data de hoje, para realização de um procedimento invasivo com anestesia"

Senador eleito Flávio BolsonaroSenador eleito Flávio Bolsonaro - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O policial militar Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), faltou nesta sexta-feira (21) ao segundo depoimento no Ministério Público do Rio de Janeiro para explicar a movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em sua conta.

A Promotoria afirmou que a defesa do PM disse que ele "precisou ser internado na data de hoje, para realização de um procedimento invasivo com anestesia, o que será devidamente comprovado, posteriormente, através dos respectivos laudos médicos".

Leia também:
'Urgência médica' adia depoimento de ex-assessor de Flávio Bolsonaro


O MP-RJ afirmou que vai sugerir ao presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), André Ceciliano (PT), o comparecimento de Flávio Bolsonaro no dia 10 de janeiro para prestar esclarecimento sobre o caso. Os familiares de Queiroz e outros assessores de Flávio Bolsonaro citados no relatório foram chamados a depor no dia 8.

Relatório do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) apontou que Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017 -entre depósitos, saques e transferências. O órgão considerou atípicos os volumes e a forma com que as operações foram feitas.

Os dados do relatório apontam coincidências entre as datas de pagamento de salários da Alerj, depósitos em espécie na conta de Queiroz e saques em dinheiro pelo policial militar.

Queiroz já havia faltado a depoimento na quarta-feira (19) a depoimento no Ministério Público em razão de "urgência médica".

O Grupo de Atribuição Originária em Matéria Criminal da Procuradoria-Geral da Justiça investiga 21 deputados que tiveram o nome citado em relatório do Coaf -entre eles Bolsonaro.

De acordo com o MP-RJ, alguns deputados procuraram o órgão para prestar esclarecimentos.

Veja também

Popularidade de Bolsonaro cai em plena segunda onda da pandemia no Brasil
Política

Popularidade de Bolsonaro cai em plena segunda onda da pandemia no Brasil

Vereador quer assistência psicológica nas escolas municipais do Recife
BLOG DA FOLHA

Vereador quer assistência psicológica nas escolas municipais do Recife