CPI da Covid

Ex-membros da CPI da Covid cogitam convocar Aras ao Senado para pressionar por resposta de relatório

Entre os itens que ainda serão discutidos pelo grupo, também consta o "protocolo do pedido de impeachment (do presidente Jair Bolsonaro) na última semana de novembro"

Augusto Aras, procurador-geral da RepúblicaAugusto Aras, procurador-geral da República - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Ex-integrantes da CPI da Covid, que formam agora uma frente parlamentar de monitoramento das ações propostas pelo colegiado, cogitam convocar o ex-procurador-geral da República, Augusto Aras, a depor no Senado caso ele não se manifeste sobre o relatório final aprovado pela Comissão Parlamentar de Inquérito em até 30 dias. A ideia consta na ata de uma reunião realizada nesta quarta-feira para definir a agenda do grupo nos próximos dias, que inclui viagens a São Paulo e ao Rio de Janeiro.

"Convocação do PGR em alguma comissão caso, em 30 dias não houver manifestação sobre o relatório e os indiciamentos propostos pela CPI daPandemia", diz um dos trecho do documento.

Entre os itens que ainda serão discutidos pelo grupo, também consta o "protocolo do pedido de impeachment (do presidente Jair Bolsonaro) na última semana de novembro". O parecer final da CPI imputa dois crimes de responsabilidade ao presidente da República, por supostamente violar direitos sociais e por agir de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo.

Participaram da reunião de hoje os senadores Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Renan Calheiros (MDB-AL), HumbertoCosta (PT-PE), Rogério Carvalho (PT-SE), Eliziane Gama (Cidadania-MA), Otto Alencar (PSD-BA) e Simone Tebet (MDB-MS).

Na próxima terça-feira, 9, o grupo pretende se reunir com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), para tratar da votação dosprojetos legislativos encaminhados no relatório final da CPI.

No dia seguinte, alguns deles viajam a São Paulo para entregar uma cópia do relatório a representantes do Ministério Público do estado e integrantes da Câmara de Vereadores de São Paulo, além de uma visita ao Instituto Butantan. Depois, seguem para o Rio de Janeiro, onde possuem agendas previstas ao Ministério Público e à Fiocruz. 

A frente parlamentar será dividida em seis vice-presidências: de acompanhamento das investigações; de relações internacionais; de acompanhamento das proposições legislativas da CPI daPandemia; de acompanhamento dos sequelados e dos órfãos da Covid-19; de acompanhamento do planejamento da vacinação para 2022; e de diálogo com a sociedade civil

Veja também

Tentativa de corrupção contra Wilson de Paula buscava benefício para instalar empresa em Pernambuco
BENEFÍCI FISCAL

Tentativa de corrupção contra Wilson de Paula buscava benefício para instalar empresa em Pernambuco

Quase metade dos perfis bloqueados pelo STF tem ligação com 8 de janeiro ou bloqueio de estradas
BRASIL

Quase metade dos perfis bloqueados pelo STF tem ligação com 8 de janeiro ou bloqueio de estradas

Newsletter