Política

Ex-mulher de Sérgio Cabral diz que recebia mesada de R$ 20 mil

Susana Neves recebi valor de Carlos Bezerra, apontado como o operador do suposto esquema de corrupção liderado pelo ex-governador do Rio

Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio CabralEx-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral - Foto: Valter Campanato/Arquivo Agência Brasil

A ex-mulher de Sérgio Cabral, Susana Neves, disse em depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira (26) que recebia uma mesada de cerca R$ 20 mil de Carlos Bezerra, apontado como o operador do suposto esquema de corrupção liderado pelo ex-governador do Rio. A informação foi divulgada pela Globonews.

Neves foi levada a prestar depoimento coercitivamente no dia em que a Polícia Federal deflagrou a operação "Eficiência", que investiga suposto esquema de pagamento de propinas a Cabral no exterior. A operação é um desdobramento da Lava Jato, assim como a Calicute, que resultou a prisão do político em novembro passado.

Neves, mãe de dois filhos do ex-governador, entre eles o deputado federal Marco Antônio Cabral (PMDB-RJ), já havia sido citada como uma das pessoas que supostamente seria destinatária de dinheiro desviado pelo esquema.

De acordo com a Globonews, Neves confirmou em depoimento que recebia de R$ 15 mil a R$ 20 mil mensais a título de pensão do ex-marido. As remessas eram feitas em dinheiro, entregues pessoalmente por Carlos Bezerra, apontado como operador de Cabral. Bezerra foi preso junto com o ex-governador.

Segundo denúncia do Ministério Público Federal, Susana teria recebido um total de R$ 883 mil entre 2014 e 2016. Os investigadores identificaram ao menos 13 anotações de pagamento na contabilidade do esquema para uma pessoa identificada pelo apelido de "Susi", que suspeitam ser Neves. O MPF identificou pagamento de outras despesas que seriam da ex-mulher, identificados como "Manoel" ou "motorista Manoel".

De acordo com a Globonews, em seu depoimento na última quinta-feira, Susana Neves disse não saber se os apelidos faziam referência a ela. A ex-mulher de Cabral também teria declarado não saber a origem do dinheiro.

Cabral e Neves são separados há mais de uma década. O ex-governador é casado com a advogada Adriana Ancelmo, presa desde dezembro, também suspeita de participar do esquema.

Neves é neta de Tancredo Neves (1910-1985), prima do vice-governador do Rio, Francisco Dornelles (PP), e do senador Aécio Neves (PMDB).

No dia em que foi levada a prestar depoimento, o advogado Sergio Riera, que representa Neves, negou que ela participasse do esquema investigado.

Veja também

Em recuo estratégico, Doria vai esperar pressão sobre Tebet
Eleições 2022

Em recuo estratégico, Doria vai esperar pressão sobre Tebet

Cassação de Arthur do Val é publicada no Diário Oficial de São Paulo
Arthur do Val

Cassação de Arthur do Val é publicada no Diário Oficial de São Paulo