Ex-presidente da Fecomércio-RJ deixa presídio

Diniz teve sua prisão decretada em fevereiro deste ano pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, na Operação Jabuti, que apurou desvios de recursos do estado do Rio através de contratações irregulares no sistema Sesc/Senac

Complexo Penitenciário de GericinóComplexo Penitenciário de Gericinó - Foto: Wikipedia

O ex-presidente da Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) Orlando Diniz deixou neste sábado (2) o Complexo Penitenciário de Gericinó (Bangu), na zona oeste da cidade do Rio, por volta das 11h. Diniz foi beneficiado com a suspensão da prisão provisória, decretada ontem (1º) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes.

Mendes decidiu substituir a prisão por outras medidas cautelares, como a proibição do acusado de deixar o país, o recolhimento do passaporte e a proibição de manter contato com outros investigados da Operação Jabuti.

Leia também:
Gilmar Mendes manda soltar ex-presidente da Fecomércio-RJ
Houve uma exaustão do presidencialismo de coalizão, diz Gilmar Mendes

Diniz teve sua prisão decretada em fevereiro deste ano pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, na Operação Jabuti, que apurou desvios de recursos do estado do Rio através de contratações irregulares no sistema Sesc/Senac.

Veja também

Pacheco diz não ver ameaça à democracia e que erros de Bolsonaro na pandemia são 'escusáveis'
Entrevista

Pacheco diz não ver ameaça à democracia e que erros de Bolsonaro na pandemia são 'escusáveis'

Alcolumbre quer manter protagonismo em Brasília
Edmar Lyra

Alcolumbre quer manter protagonismo em Brasília