Ex-procurador foi informado sobre operação da Lava Jato um dia antes

Marcello Miller já atuava como advogado da J&F quando recebeu mensagem com informação

O ex-procurador da República, Marcelo MillerO ex-procurador da República, Marcelo Miller - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A assessoria do ex-procurador Marcelo Miller disse que a informação de que uma operação da Lava Jato seria deflagrada no dia seguinte à troca de mensagens "não adveio de nenhum órgão estatal". "O conteúdo da mensagem não adveio de nenhum órgão estatal, tendo origem na sua atuação como advogado, o que o obriga a preservar o sigilo profissional", disse.

Leia também:
Ex-procurador foi informado sobre operação um dia antes


À reportagem, a assessoria destacou que Miller já estava desligado dos quadros do MPF (Ministério Público Federal) "havia mais de 40 dias" quando enviou a mensagem.

Quanto à declaração de Miller de que Eduardo Pelella, então chefe de gabinete de Rodrigo Janot, confirmara que a Procuradoria Geral da República soltaria nota negando a participação do ex-procurador na delação da JBS, a assessoria diz que o comunicado era uma "resposta enérgica" necessária "diante das inverdades que se veiculavam na imprensa". Ela, contudo, não esclarece o contato feito entre Miller e Pelella.

O escritório Trench Rossi Watanabe disse, em nota, que, sempre "colaborou com as autoridades", destacou que os envolvidos não fazem mais parte de seu quadro de sócios e manifestou "total disposição" em auxiliar nas investigações.

Procurada, a PGR disse que não se manifestará sobre o tema. A advogada Esther Flesch também não quis falar.

Veja também

Marcos Pontes participa de evento sobre pesquisa da nitazoxanida
Saúde

Marcos Pontes participa de evento sobre pesquisa da nitazoxanida

YouTube bloqueia vídeo de campanha de Russomanno por desrespeitar direitos autorais da Fifa
SÃO PAULO

YouTube bloqueia vídeo de Russomanno com imagens da Fifa