Fachin arquiva inquérito contra Lindbergh na Lava Jato

A investigação apurava se o parlamentar praticou os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na BR Distribuidora

Luiz Edson FachinLuiz Edson Fachin - Foto: Divulgação

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), arquivou o inquérito contra o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).
Fachin atendeu pedido feito pela PGR (Procuradoria-Geral da República) no fim de janeiro.Para a PGR, as provas colhidas no inquérito não apresentam indícios de crimes cometidos pelo parlamentar.

Em novembro de 2016 a Polícia Federal pediu o arquivamento da investigação.
O inquérito foi aberto em março de 2015 para apurar se o senador cometeu crimes de corrupção passiva qualificada e de lavagem de dinheiro.
Em delação premiada, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que, em 2010, Lindbergh teria lhe pedido R$ 2 milhões para sua campanha ao Senado. Fachin também arquivou um dos inquéritos contra o senador Fernando Collor (PTC-AL).

A investigação apurava se o parlamentar praticou os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, mas a Procuradoria-Geral da República afirmou haver ausência de elementos mínimos para justificar a abertura de uma ação penal.

O inquérito foi instaurado com base nas declarações de Nestor Cerveró, ex-diretor de Internacional da Petrobras em delação premiada na Lava Jato.
A PGR se manifestou a favor do arquivamento do inquérito, e o pedido foi atendido pelo ministro.

Veja também

Prefeito de Curitiba, Rafael Greca é internado após sofrer AVC
Saúde

Prefeito de Curitiba, Rafael Greca é internado após sofrer AVC

Câmara aprova urgência e acelera projeto para substituir Lei de Segurança Nacional
Congresso

Câmara aprova urgência e acelera projeto para substituir Lei de Segurança Nacional