brasil

Falta de carros blindados vira primeiro atrito entre Bolsonaro e governo Lula após seu retorno

Ex-presidente reclama por não ter acesso a veículo com segurança reforçada. Casa Civil alega que "nenhum ex-presidente tem direito a utilização de carro blindado"

Ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em reunião do PLEx-presidente Jair Bolsonaro (PL) em reunião do PL - Foto: Handout / Liberal Party / AFP

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) reclamou em uma reunião do PL na manhã desta quinta-feira (30) que o atual governo não forneceu a ele carros blindados para usar em seus deslocamentos pelo país. Em uma reunião na sede do PL, Bolsonaro insinuou que corre risco de sofrer um atentado e afirmou que a medida seria necessária para garantir a sua segurança.

Responsável por fornecer os automóveis, a Casa Civil, no entanto, alega que o decreto que regula o uso de veículos por ex-presidentes não prevê que os veículos sejam blindados. O texto do secreto 6.381 de fevereiro de 2008 afirma que "findo o mandato do Presidente da República", o ex-presidente terá direito: "aos serviços de quatro servidores para atividades de segurança e apoio pessoal; a dois veículos oficiais, com respectivos motoristas". Em nota, a Casa Civil afirma que "nenhum ex-presidente tem direito a utilização de carro blindado".

Durante a conversa com aliados, o próprio ex-presidente reconheceu a lei não define a obrigatoriedade do repasse dos carros blindados:

"Até segunda-feira eu tinha direito a dois carros blindados. O anuncio da minha chegada, a Casa Civil tirou os dois carros blindados e estou com dois carros normais aí fora. Agora você pode falar, tem amparo na lei ou não tem? Não está definido."

O ex-presidente afirma que a atitude do atual governo não é "racional" e argumenta que corre mais riscos, citando o atentado que sofreu na campanha de 2018 e os planos do PCC contra o senador Sergio Moro (União-PR), desbaratados pela Polícia Federal.

"Na campanha em 2018 eu tinha 40 policiais federais comigo e o Cabo Daciolo tinha dois. Por que? Porque eu tinha, obviamente, o maior risco de acontecer um atentado comigo e aconteceu, mesmo com todos esses os policiais federais. Agora é a mesma coisa. A gente vê essa questão do PCC planejamento, a gente fica preocupado. Eu não tenho peito de aço. Vou tentar buscar um carro blindado para mim. Agora, não é uma atitude racional por parte desse governo que está aí e eu nunca persegui ex-presidente de nenhum governo. Tudo que foi pedido nós concedemos e fomos até além em algumas coisas. Agora comigo, anunciam que não tem mais carro blindado" disse Bolsonaro.

O GLOBO apurou que no início de dezembro do ano passado, o governo Bolsonaro transferiu dois veículos blindados do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para a Secretaria de Administração da Casa Civil, setor responsável por gerir os veículos dos ex-presidentes.

Integrantes do governo avaliam que a transferência foi feita para que agora, com retorno de Bolsonaro ao Brasil, esses veículos fossem requisitados para uso do ex-presidente. Como não há previsão legal para o uso de carros blindados por ex-presidentes, a Casa Civil transferiu esses veículos para a Polícia Federal.

Veja também

Padilha diz que governo vai continuar convidando dirigentes para eventos com Lula
Padilha

Padilha diz que governo vai continuar convidando dirigentes para eventos com Lula

Lula chama de "comício" inauguração de obra em Guarulhos sem presença de Tarcísio
Lula

Lula chama de "comício" inauguração de obra em Guarulhos sem presença de Tarcísio

Newsletter