Faltas de Pernambuco no 2º turno da PEC 241

Como a coluna cantou a pedra, o ministro Fernando Filho foi, mais uma vez, exonerado, ontem. Bruno Araújo já havia sido

Tadeu Alencar (PSB)Tadeu Alencar (PSB) - Foto: Divulgação

Diferente da votação em primeiro turno, quando todos os deputados federais de Pernambuco deram presença e votaram na PEC 241. Ontem, dois parlamentares levaram falta: João Fernando Coutinho (PSB) e Anderson Ferreira (PR). O republicano está em campanha para Prefeitura de Jaboatão e o socialista alegou ter perdido o horário em razão do debate na Comissão de Meio Ambiente e Esportes para tratar da prática da vaquejada. No 1º turno, Anderson votou favorável, enquanto João Fernando posicionara-se contra. O fato de João Fernando não ter comparecido, ontem, foi lido por alguns membros da bancada pernambucana, nos bastidores, como um “gesto” na direção do Planalto. O parlamentar, no entanto, garante que sua postura segue a mesma. Na ponta do lápis, a bancada do PSB do Estado, que teve quatro votos contrários contabilizados no placar na primeira votação, ontem, somou três. A posição desses parlamentares seguiu orientação do PSB-PE, que emitira nota sobre o assunto, conforme entendimento do governador Paulo Câmara. Em reserva, alguns deputados relatam , no entanto, que, mesmo no 1º turno, a previsão, originalmente, era de que o placar fosse de três a favor - contava-se com o “sim” de João Fernando Coutinho, que não se concretizou, além dos de Fernando Filho e de Marinaldo Rosendo - e três “não” (Tadeu Alencar, Danilo Cabral e Gonzaga Patriota). Na conta final, a despeito de ter perdido sete votos favoráveis, o governo Michel Temer aprovou a PEC 241 por 359 votos (foram 366 no 1º turno) contra 116 contra (eram 111 no 1º turno).

Como a coluna cantou a pedra, o ministro Fernando Filho foi, mais uma vez, exonerado, ontem. Bruno Araújo já havia sido

Embarque imediato
Algumas ausências na votação da PEC 241 se deram porque o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, autorizou viagem de alguns parlamentares ao exterior para agenda da Organização Internacional do Trabalho. Foi o caso de Maria Helena, do PSB de Roraima, por exemplo.
Desfalques > Outro nome do PSB que tinha votado a favor da PEC e, ontem, se absteve foi Bebeto (BA). E o líder da sigla, Paulo Folleto (ES), que era a favor, está de licença médica por 60 dias.

Desconto > João Fernando Coutinho lamentou o “prejuízo financeiro no contracheque”, dada a ausência anotada na sessão de votação da PEC 241.
Tumulto >O debate sobre a vaquejada pegou fogo. Deu-se embate duro entre alguns deputados, entre eles, João Fernando, e a atriz Alexia Dechamps, voluntária da causa animal. Parlamentares acusaram preconceito dela contra o Nordeste. Um dos que se indignou foi Pedro Vilela (PSDB-AL).
Seca > Defendendo que o animal da vaquejada recebe os devidos cuidados, João Fernando afirma: “O gado do Sertão está morrendo de fome e esses ativistas não pensam em arrecadar fundo para isso. Respeito a todos, mas só concordo com argumentação de quem tem posicionamento contrário porque tem embasamento sociológico e filosófico”, justificou à coluna. Completando: “Aí termina audiência e gasta em bolsa cara de couro
e usa sapato de couro”.

Ibope > Na segunda pesquisa Ibope, encomendada pela Folha de Pernambuco em parceria com a TV Globo, Geraldo Julio aparece com 54% das intenções de voto e João Paulo pontua 36%. O petista, que vem subindo o tom contra o socialista, oscilou positivamente três pontos percentuais em relação à amostra anterior.

Veja também

Aprovadas regras para prevenir Covid-19 em eventos drive-in e instituições para idosos
Blog da Folha

Aprovadas regras em eventos drive-in e instituições para idosos

Doria diz que Datena 'não é médico' em discussão ao vivo sobre Coronavac
Televisão

Doria diz que Datena 'não é médico' em discussão ao vivo sobre Coronavac