FHC diz que foi um erro Moro aceitar ser ministro

Ex-presidente foi entrevistado por Pedro Bial no "Conversa com Bial", exibido na madrugada desta quinta-feira (5)

Ex-presidente FHC no 'Conversa com Bial'Ex-presidente FHC no 'Conversa com Bial' - Foto: Reprodução/TV Globo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que se estivesse na situação do ministro da justiça Sergio Moro, se demitiria. Em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, na madrugada desta quinta-feira (5), FHC afirmou considerar "um erro ele [Moro] aceitar ser ministro", concordando com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que também era entrevistado.

O tucano disse que Moro não tem características de um político, e que "deveria aspirar ser ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)". "Não sei o que ele deveria fazer, isso é problema dele. [...] Acho que ele aceitou [ser ministro da Justiça] por motivos explicáveis, para evitar de tentarem abafar a Lava Jato, mas ele viu que as coisas são diferentes. Se eu fosse ele, eu estaria fora", disse FHC.

Leia também:
FHC critica 'incontinência verbal' de Bolsonaro e contesta fala sobre ditadura
'É pecado venial, não mortal', diz FHC sobre mensagens vazadas de Moro

Pedro Bial perguntou a Fernando Henrique sobre a mensagem vazada de Sergio Moro ao procurador Deltan Dallagnol, em que o atual ministro da Justiça cita o ex-presidente e fala em evitar melindrá-lo. FHC respondeu que não foi melindrado, tanto que a investigação sobre ele foi realizada.

FHC disse que não foi consultado sobre a entrada de Alexandre Frota no PSDB e que considera um retrocesso a entrada do deputado nos quadros do partido. Sobre a exclusão de membros do partido, tampouco foi consultado, afirmou, e apenas deu sua opinião no Twitter. O ex-presidente disse que é contra a privatização da Petrobras. Considera que a abertura do mercado - feito em seu governo -foi o suficiente para quebrar o monopólio estatal.

Perguntado sobre a oposição ao governo atual, FHC respondeu que a "mídia tradicional tem mostrado os equívocos do atual governo", e deveria se preocupar em discutir o que "é importante para o país". Após Bial perguntar novamente sobre a oposição, da qual Randolfe Rodrigues é representante, o ex-presidente disse que ela faz o seu papel, e que deve escolher quando se pronunciar.

Rodrigues, por sua vez, respondeu que considera Fernando Henrique, presidente de honra do PSDB, muito mais progressista que o restante dos tucanos.  O senador do Amapá pela Rede, lembrou que no início da carreira, na juventude do Partido dos Trabalhadores (PT), gritou por muitas vezes "fora FHC". Ao lado do ex-presidente tucano, mais de vinte anos depois do governo tucano, destacou que a estabilidade da moeda brasileira e a recuperação da economia brasileira foram alcançadas no governo do PSDB.

Veja também

Senador Arolde de Oliveira morre em decorrência da Covid-19
Política

Senador Arolde de Oliveira morre em decorrência da Covid-19

Senado aprova indicação de Alexandre Costa Rangel para CVM
política

Senado aprova indicação de Alexandre Costa Rangel para CVM