Política

FHC lamenta morte de ex-presidente do Peru investigado na Lava Jato

García, 69, era acusado de envolvimento no escândalo da empreiteira brasileira Odebrecht

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB)Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) - Foto: Wikimedia Commons

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou que Alan García "não resistiu à maré corruptora" e classificou o ex-presidente do Peru, que se suicidou na quarta-feira (17), como populista.

García, 69, era acusado de envolvimento no escândalo da empreiteira brasileira Odebrecht, que declarou ao Departamento de Justiça americano ter pago US$ 29 milhões em propinas e caixa 2 no Peru.

FHC relembrou que García foi seu aluno quando lecionava na França.

Leia também:
'Se Moro combater a corrupção ajudará o país', diz Fernando Henrique
Suicídio de Alan García tem paralelos com o de Getúlio, diz analista britânico


"Ou restabelecemos a simplicidade no viver e o respeito à lei ao governar, ou há risco de ditadores enganarem o povo com discursos morais enganosos" escreveu ele em uma rede social nesta quinta-feira.

O corpo de García, que foi presidente de 1985 a 1990, e de 2006 a 2011, está sendo velado nesta quinta na sede de seu partido, o Aliança Popular Revolucionária Americana (Apra).

O ex-presidente morreu na quarta-feira (16) em um hospital de Lima após dar um tiro contra a cabeça quando a polícia judiciária anunciou uma ordem por sua prisão por 10 dias por um caso de suposta lavagem de ativos ligado à empreiteira brasileira Odebrecht.

A arma usada tinha sido um presente da Marinha de Guerra peruana durante seu mandato.

O governo decretou três dias de luto nacional, de 17 a 19 de abril, mas a família rejeitou qualquer homenagem.

O partido atribui o suicídio de García a uma perseguição de setores da imprensa e da promotoria responsável pelas investigações.

Veja também

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma de fogo no aeroporto
Política

PF conclui que Milton Ribeiro não cometeu crime em disparo de arma

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda
Mundo

Colômbia está diante de guinada histórica para a esquerda