Fundo partidário irrigou campanhas

Doações de pessoas físicas caíram “assustadoramente” nessas eleições, segundo informações da justiça eleitoral

Despedida em Grande EstiloDespedida em Grande Estilo - Foto: Divulgação

 

Sem adesão popular, e com o fim do financiamento privado nestas eleições - proibido pela minirreforma política - ,as campanhas majoritárias do Recife contaram, neste primeiro turno, com quase 90% dos recursos oriundos do Fundo Partidário.
Segundo levantamento fei­to pela Folha de Pernambuco, com base em dados do Tribu­nal Regional Eleitoral (TRE), as cifras repassadas pelas legendas para os seus filiados-candidatos, girou em torno de R$ 6,4 milhões. Até o momento, as doações de pessoas físicas seguem a passos tímidos com, aproximadamente 10% do montante total de R$ 7,3 milhões investidos nas campanhas.
As maiores doações partidárias foram feitas às postulações do PSDB, PSB e PT, justamente os que lideram as pesquisas de intenção de voto. O deputado e candidato à PCR, Daniel Coelho (PSDB) foi um dos que recebeu doações maciças do fundo. Conforme dados do TRE, ao todo, o diretório nacional tucano encaminhou R$ 2,05 milhões contra R$ 201 mil recebidos pelo prefeiturável por pessoas físicas. 
Candidato à reeleição, o prefeito Geraldo Julio (PSB) também teve aportes razoáveis: recebeu R$ 2.113.900. Mas o que chama atenção na prestação de contas do socialista, no entanto, é o fato de todos os recursos virem, exclusivamente, da direção municipal da sigla. Ou seja, nenhum centavo foi doado para ele por pessoa física, segundo o TRE.
Aparecendo em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, o candidato petista João Paulo obteve R$ 1.135 milhões da direção nacional e estadual do PT. Apenas R$ 121.422 mil foram doados por pessoas físicas. Carlos Augusto (PV), Priscila Krause (DEM) e Edilson Silva (PSOL) obtiveram, respectivamente, R$ 350 mil, R$ 650 mil e R$ 162 mil.
Queda

Segundo o chefe da sessão de auditoria de contas eleitorais e partidárias do TRE, Marcos Andrade, a doação de pessoa física, de fato, caiu “assustadoramente” nesse pleito. Ele elenca dois fatores como determinantes para a baixa na arrecadação. “O efeito do fim da doação de pessoas jurídicas e a própria imposição de limite para as doações de pessoas físicas”, diz. Andrade também alerta para o fim dos prazos para prestação das contas.

Segundo ele, os candidatos terão 30 dias para prestar todas as contas do primeiro turno a partir do dia da votação marcado para o dia 2 de outubro. “durante os 30 dias se eles tiverem gastos que não pagou eles podem captar recursos”, informa. Num eventual segundo turno, Marcos Andrade alerta que os candidatos poderão prestar contas até o dia 19 de novembro.

 

Veja também

Boulos diz que teve celular clonado, que estão pedindo dinheiro em seu nome e aciona Justiça
política

Boulos diz que teve celular clonado, que estão pedindo dinheiro em seu nome e aciona Justiça

Senador Chico Rodrigues pede afastamento do Conselho de Ética
política

Senador Chico Rodrigues pede afastamento do Conselho de Ética