Diplomacia

Gaza, Ucrânia, Venezuela e Haiti: saiba os temas que foram tratados na reunião entre Lula e Blinken

Antonyy Blinken também reforçou o apoio as propostas do Brasil na presidência do G20

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, em encontro com o presidente Lula, em BrasíliaO secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, em encontro com o presidente Lula, em Brasília - Foto: Evaristo Sá/AFP

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, conversaram durante quase duas horas, na manhã desta quarta-feira, no Palácio do Planalto, sobre os principais temas da agenda internacional. Segundo publicação do presidente nas redes sociais e uma nota divulgada pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, Lula e Blinken falaram sobre diversos assuntos, entre os quais a situação na Venezuela e as guerras na Ucrânia e na Faixa de Gaza.

Na nota, o governo americano destacou que Blinken expressou o compromisso dos EUA de fazer parceria com o Brasil na agenda da presidência do G20, especialmente no combate à fome e à pobreza, na mobilização contra a crise climática e na reforma da governança global -- tema prioritário na reunião de chanceleres das maiores economias do mundo que acontece no Rio.

Blinken fez elogios a Lula por seu papel na redução das tensões entre a Guiana e a Venezuela na região de Essequibo. Reforçou a posição, dos EUA e do Brasil, para que o presidente venezuelano Nicolás Maduro retome a implementação do acordo feito com a oposição, no ano passado, para garantir eleições presidenciais competitivas em 2024.

O secretário de Estado reconheceu o "apoio de longa data" do Brasil ao povo do Haiti. Reiterou a "necessidade urgente" de assistência internacional para melhorar a situação de segurança no Haiti.

Os governos do Brasil e dos EUA não informaram se entrou na conversa a crise diplomática entre Lula e o governo de Israel, devido a uma declaração do mandatário brasileiro que comparou, o último domingo, as mortes de civis palestinos na Faixa de Gaza ao extermínio de judeus pelos nazistas. Mas tanto Blinken como Lula defenderam a criação de um Estado palestino.

Antony Blinken falou sobre o envolvimento dos EUA no conflito em Gaza entre Israel e o grupo palestino Hamas. Enfatizou os trabalhos para facilitar a libertação de todos os reféns nas mãos do grupo extremista e a assistência humanitária aos civis palestinos.

Blinken agradeceu a Lula pela participação no processo da Fórmula da Paz para tentar acabar com a guerra entre Rússia e Ucrânia. E citou o lançamento de uma iniciativa global, sob o comando de Lula e o presidente dos EUA, Joe Biden, em defesa dos direitos dos trabalhadores.

O chefe da diplomacia americana, que participará da reunião de chanceleres do G20, no Rio, enfatizou o compromisso do Brasil de acabar com o desmatamento na Amazônia até 2030. Mencionou, ainda, o interesse de Lula em aprofundar a cooperação em energia limpa e o Plano de Ação Conjunta EUA-Brasil para Eliminar a Discriminação Racial e Étnica e Promover a Igualdade.

O bicentenário das relações entre Brasil e EUA, em maio, que será celebrado pelos dois países, entrou na agenda.

Veja também

Devemos cortar despesas no curto, médio e longo prazo, diz Alckmin
Geraldo Alckmin

Devemos cortar despesas no curto, médio e longo prazo, diz Alckmin

Júlia Zanatta aciona MPF contra Erika Hilton por chamá-la de "feia" e "ultrapassada"
Erika Hilton

Júlia Zanatta aciona MPF contra Erika Hilton por chamá-la de "feia" e "ultrapassada"

Newsletter