General Franklimberg é escolhido para presidir a Funai

O militar é de origem indígena

General Franklimberg Ribeiro de Freitas deixou a presidência da Funai.General Franklimberg Ribeiro de Freitas deixou a presidência da Funai. - Foto: Mário Vilela / Funai

O general Franklimberg Ribeiro de Freitas foi o nome escolhido pelo governo Jair Bolsonaro para presidir a Fundação Nacional do Índio (Funai). A designação consta de uma edição extra do Diário Oficial da União publicada na noite desta quarta-feira (16).

O militar, de origem indígena, reassume o comando do órgão após indicação da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Anteriormente, a fundação ficava subordinada ao Ministério da Justiça.

Em nota divulgada na manhã desta quinta (17), a Funai destaca que, durante sua primeira gestão, que compreendeu o período de maio de maio de 2017 a abril de 2018, Franklimberg coordenou a elaboração de um parecer sobre projeto de lei que altera o Estatuto dos Povos Indígenas. À época, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) criticou a medida, destacando que a modificação acrescentaria ao estatuto, de 1973, a tese do marco temporal, segundo a qual os povos indígenas só teriam direito à demarcação das terras que estivessem sob sua posse em 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição Federal.

Leia também
Presidente da Funai pede exoneração; general da reserva deverá retornar ao órgão
Bolsonaro retira da Funai a demarcação de terras indígenas e quilombolas
Presidente da Funai pede 'ações importantes' para proteger índios


Segundo a assessoria da Funai, antes de presidi-la, Franklimberg coordenou em Roraima uma ação que visava a retirada de garimpeiros da Terra Indígena Yanomami, em 2010 e 2012, e uma operação que permitiu a demarcação da Terra Indígena Kayabi, localizada no norte do Mato Grosso e sudoeste do Pará. O general esteve à frente, entre 2012 e 2013, do Centro de Operações do Comando Militar da Amazônia (CMA), ao qual esteve ligado também como Assessor Parlamentar e de Relações Institucionais do CMA.

Ao deixar o cargo, Franklimberg afirmou que considera a Funai "uma instituição forte" e que testemunhou, no período de sua presidência, "a abnegação de muitos servidores".

Veja também

Eleições 2022 já estão no retrovisor de lideranças políticas sertanejas
Carlos Britto

Eleições 2022 já estão no retrovisor de lideranças políticas sertanejas

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco
Folha de Pernambuco

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco